Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência do preparo cavitário com laser de Er:YAG nas alterações do esmalte adjacentes à restaurações de cimento de ionômero de vidro submetidas a desafio cariogênico

Processo: 09/14836-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2009
Vigência (Término): 30 de novembro de 2010
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Clínica Odontológica
Pesquisador responsável:Silmara Aparecida Milori Corona
Beneficiário:Abraão Gonçalves Rombe
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Dentística   Restauração dentária   Esmalte dentário   Cimentos de ionômeros de vidro   Microdureza   Laser do estado sólido

Resumo

Com o propósito de superar as limitações das turbinas de alta-rotação, novas técnicas de preparo cavitário vêm sendo estudadas, como a irradiação com laser de Er:YAG. O objetivo do presente estudo é avaliar o efeito do laser de Er:YAG nas alterações do esmalte adjacente a restaurações de cimento de ionômero de vidro submetidas a um alto desafio cariogênico in vitro. Com este propósito, 60 fragmentos dentais provenientes de incisivos bovinos hígidos serão distribuídos aleatoriamente em seis grupos (n = 10), de acordo com o tipo de preparo cavitário a ser realizado: I- laser de Er:YAG (350 mJ/3Hz) ou II- Alta-rotação (ponta diamantada #2096). Após o preparo das cavidades, os espécimes serão subdivididos de acordo com o material restaurador empregado: cimento de ionômero de vidro: A- convencional (Ketac Molar) ou B- modificado por monômeros resinosos (Vitremer) e C- resina composta (Filtek Supreme). Após 7 dias os espécimes serão polidos e submetidos ao desafio cariogênico. Subseqüentemente, serão seccionados para a análise da microdureza. Ao final deste período, os corpos-de-prova serão avaliados quanto à microdureza do esmalte em diferentes distâncias (100, 200 e 300 µm) na profundidade de 30 µm em relação à restauração e à superfície do esmalte. Após o desafio, os espécimes serão seccionados para a realização das leituras de microdureza longitudinal. Os dados obtidos serão analisados para escolha do método estatístico adequado.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa: