Busca avançada
Ano de início
Entree

Esbocos da nossa modernidade: octavio gabus mendes e o cinema.

Processo: 00/14916-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2001
Vigência (Término): 31 de maio de 2004
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Artes - Cinema
Pesquisador responsável:Fernão Vitor Pessoa de Almeida Ramos
Beneficiário:Sheila Schvarzman
Instituição-sede: Instituto de Artes (IA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Mulheres

Resumo

Propomos o estudo da obra cinematográfica de Octávio Gabus Mendes (1906-1946) crítico e diretor de filmes entre meados dos anos 20 e início dos anos 30. Embora tenha produzido apenas 3 filmes, dos quais só nos resta hoje "Mulher" de 1932, e tenha depois enveredado pelo rádio, a inventividade, as ousadias formais e a crítica social embutida no filme tornam o seu estudo obrigatório. Pretendemos abordar a vida e obra do autor, interessados em enfocar a sua cinematográfia, o que nos conta sobre o Brasil que documentou. Pretendemos usar o cinema como fonte da história e avançarmos também no conhecimento e na crítica da história e da historiografia do cinema brasileiro, a exemplo do que fizemos em nosso doutoramento que abordou a obra de Humberto Mauro, e a partir dela, o Brasil que se construiu através de suas lentes. No caso de Gabus Mendes há em primeiro lugar uma urgência, uma vez que o filme é importantíssimo, teve influências sobre Humberto Mauro e sobre Ganga Bruta. Além disso, como correspondente de Cinearte em São Paulo, temos não só sua visão sobre o cinema em geral e o brasileiro em particular, mas também a crônica cinematográfica da cidade. Além disso, há o trabalho e a relação com Adhemar Gonzaga que poderá ser aprofundada. (AU)