Busca avançada
Ano de início
Entree

Analise da expressao do receptor b1 de bradicinina e da nadph oxidase em ratos "stroke prone" espontaneamente hipertensos.

Processo: 03/01535-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2003
Vigência (Término): 31 de maio de 2004
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica
Pesquisador responsável:Clélia Rejane Antõnio
Beneficiário:Daniel Varoni Schneider
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):NADPH oxidase   Reação em cadeia da polimerase via transcriptase reversa (RT-PCR)   Superóxidos   Hipertensão

Resumo

A correlação entre estresse oxidativo e hipertensão tem sido demonstrada em diversos estudos que utilizam modelos animais. Neste contexto, animais da linhagem conhecida como SPSHR ("stroke prone spontaneously hypertensive rats") apresentam elevados níveis de superóxido e de lesões oxidativas no seu DNA. Na caracterização desta linhagem verificou-se a elevação da pressão arterial está associada à baixa biodisponibilidade de óxido nítrico (NO), o fator relaxante da musculatura lisa derivada do endotélio. Isto decorre da inativação do NO pelo excesso de superóxido, visto que estes dois radicais reagem entre si para formar o peroxinitrito, que é um fraco vasodilatador. No controle dá homeostase vascular, os sistemas renina-angiotensina e calicreínas cininas, levam a produção de superóxido é NO, respectivamente: a angiotensina II ativa a enzima produtora de superóxido, NADPH oxidase, enquanto que a interação da bradicinina com seus receptores B1 e B2 promove a entrada de cálcio nas células, ativando NO sintases e por conseguinte, aumentando a produção de NO. O receptor B1 encontra-se geralmente ausente ou inativo, mas pode ser induzido em condições patológicas como inflamação, dor e choque séptico. Neste projeto, nós pretendemos investigar se o estresse oxidativo induz o receptor B1 de bradicinina, utilizando como modelo de estudo os ratos SPSHR em comparação com ratos Wistar normotensos. (AU)