Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise da expressão da poligalacturonase em diferentes cepas de Xylella fastidiosa.

Processo: 10/05265-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2010
Vigência (Término): 31 de outubro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Bioquímica de Microorganismos
Pesquisador responsável:Aline Maria da Silva
Beneficiário:Oséias Rodrigues Feitosa Junior
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Xylella fastidiosa   Regulação da expressão gênica   Proteínas recombinantes   Poligalacturonase

Resumo

Xylella fastidiosa é uma bactéria que coloniza o xilema de uma diversidade de plantas cultivadas e silvestres em várias partes do mundo, sendo o agente causador de uma série de doenças em plantas economicamente importantes como citros, videiras e café. Diferentes cepas de X. fastidiosa foram identificadas, sendo que a sequência genômica de algumas destas já é conhecida. A comparação dos genomas destas cepas de X. fastidiosa entre si e com o genoma de outros fitopatógenos, associada a abordagens de genômica funcional e de genética molecular, possibilitou a proposição de alguns mecanismos de virulência de X. fastidiosa, entre estes a formação do biofilme que promoveria a oclusão do xilema e consequente estresse hídrico. A migração de Xylella fastidiosa entre os vasos do xilema é um dos fatores relevantes no estabelecimento da infecção. Esta migração possivelmente é facilitada pela expressão de enzimas capazes de degradar a parede que separa os pontos de comunicação (pontuações) entre os vasos do xilema, tais como proteases, celulases e poligalacturonases. No genoma de Xylella fastidiosa estão preditos três genes de proteases extracelulares, três genes de endo-1,4 ²-glucanase (celulase), um gene de celobiohidrolase, dois genes ²-xilosidases e um gene de poligalacturonase (pectinase), sendo que o nocaute deste último resultou em redução da virulência. Por outro lado, cepas isoladas de citros e de cafeeiros apresentam uma mutação de frameshift no gene da poligalacturonase a qual supostamente inviabiliza a expressão de uma enzima funcional, o que tem sido associado a um fenótipo menos agressivo destas cepas em relação às cepas que infectam videiras. O nosso objetivo neste projeto de pesquisa é avaliar a expressão da poligalacturonase em várias cepas de Xylella fastidiosa submetidas a diferentes condições de cultivo. A expressão do transcrito será avaliada através de RT-qPCR e a expressão da proteína será avaliada utilizando-se immunoblots. Como não dispomos de anticorpo contra a poligalacturonase será necessária sua preparação pela imunização de camundongos ou coelhos com a proteína recombinante obtida em E.coli.