Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da doxazosina e da finasterida sobre a interação epitélio-estroma nos diferentes lobos da próstata de rato: expressão gênica dos inibidores teciduais de metaloproteinases de matriz 1 e 2 (TIMP-1 e -2)

Processo: 07/05157-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2007
Vigência (Término): 30 de novembro de 2008
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Sérgio Luis Felisbino
Beneficiário:Caroline Acquaro
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Matriz extracelular   Reação em cadeia da polimerase via transcriptase reversa (RT-PCR)   Próstata   Metaloproteinases   Finasterida

Resumo

ResumoNa próstata humana, a hiperplasia prostática benigna (HPB) e os adenocarcinomas são as duas principais lesões prostáticas que surgem nos homens a partir dos 50 anos. A doxazosina, um antagonista do receptor alfa-adrenérgico, e a finasterida, um inibidor da enzima 5-alfa redutase, são amplamente utilizados no tratamento dos sintomas da HPB por produzir o relaxamento da musculatura lisa do estroma prostático e por inibir a conversão da testosterona em diidrotestosterona, respectivamente. Estas duas drogas são normalmente administradas isoladamente, entretanto, recentemente tem se sugerido um uso combinado de ambas para obteção de melhores resultados. Além disso, alguns estudos têm mostrado que tanto a doxazosina como a finasterida podem ter efeitos importantes no tratamento e na prevenção dos adenocarcinomas. Entretanto, mais estudos são necessários para se conhecer os efeitos da doxazosina e da finasterida, e seus efeitos combinados sobre as células prostáticas. Em um projeto recentemente concluído por nós com apoio financeiro desta Fundação (Proc. FAPESP Nº 04/13261-8 e 06/60114-6), foi investigado os efeitos da doxazosina e da finasterida, isoladamente, e da doxazosina combinada com a finasterida sobre a interação epitélio-estroma e sobre a expressão das metaloproteinases MMP-2 e MMP-9. Os resultados revelaram que estas duas drogas alteram o padrão de ativiade e de expressão gênica destas duas MMPs. Desta forma, neste projeto nós iremos investigar a expressão gênica dos seus inibidores teciduais endógenos, TIMP-1 e TIMP-2 nos diferentes lóbos da próstata de ratos. Para isto, será empregada análise molecular de RT-PCR, que colaborem para um melhor entendimento dos efeitos da finasterida e da doxazosina sobre a fisiologia prostática.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.