Busca avançada
Ano de início
Entree

Programação fetal por restrição protéica in útero: alterações morfofuncionais na próstata ventral do rato Wistar

Processo: 08/54488-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2009
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Sérgio Luis Felisbino
Beneficiário:Luis Antonio Justulin Junior
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Morfometria   Desenvolvimento fetal   Próstata

Resumo

Condições gestacionais adversas podem acarretar alterações e adaptações morfofuncionais irreversíveis no feto, fenômeno conhecido como Programação Fetal ou Fetal Programming. Dentre os diferentes tipos de Programação Fetal descritos na literatura, a desnutrição protéica in útero é o mais extensamente estudado. Em países em desenvolvimento como o Brasil, onde a desnutrição é um problema cultural, sócio-econômico e de saúde pública, a desnutrição materna toma-se ainda mais relevante. Sabe-se que durante a programação fetal por restrição protéica, o feto permanece exposto a altas concentrações de glicocorticóides, estrógenos e andrógenos matemos. Considerando a participação direta destes hormônios esteróides no desenvolvimento e manutenção do sistema reprodutor masculino, em especial da próstata, este projeto tem por objetivo investigar os efeitos da programação fetal por desnutrição protéica in útero sobre a morfofisiológica da próstata ventral do rato Wistar, visto a grande relevância médico-científico deste órgão devido à crescente incidência das lesões prostáticas nos últimos anos. Neste sentido, serão analisados, em ratos com 4 e 12 meses de idade, que sofreram a programação fetal por restrição protéica (dieta normal = 17% de proteína na ração; dieta com restrição 6%): as concentrações plasmáticas de hormônios esteróides; os parâmetros morfológicos e morfométricos de peso glandular, fração volumétrica ocupada pelo parênquima e pelo estroma, altura média do epitélio secretor; índices de proliferação e morte de células epiteliais; expressão protéica do PSA; do receptor de andrógeno, do IGF-1 e seu receptor IGF-1R; do receptor de glicocorticóides (GR); a expressão gênica de receptores de andrógeno, estrógeno, do IGF-1 e seu receptor, além de análises ultra-estruturais (microscopia eletrônica de transmissão) e freqüência de neoplasias nas próstatas dos animais de 12 meses de idade. Para tanto, serão utilizadas as técnicas histológica, imunocitoquímica, estereológica, ultra-estrutural, bioquímica de Western blotting, moleculares de RT-PCR em tempo real, além de microdissecção e captura a laser dos compartimentos epitelial e estromal para posterior estudo de expressão gênica desses compartimentos isoladamente. (AU)