Busca avançada
Ano de início
Entree

Isolamento e avaliacao de bacterias produtoras de ramnolipidios e polihidroxialcanoatos.

Processo: 04/15988-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2005
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2005
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:José Gregório Cabrera Gomez
Beneficiário:Felipe Henrique Sato de Lima
Instituição-sede: Instituto de Pesquisas Tecnológicas S/A (IPT). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:03/01602-2 - Avaliação do metabolismo de síntese de PHAMCL e controle de sua composição monomérica, AP.JP
Assunto(s):Biossurfactantes   Poli-hidroxialcanoatos   Pseudomonas aeruginosa

Resumo

Ramnolípidios e polihidroxialcanoatos contendo monômeros de cadeia média (PHAMCL) são produzidos por diversas espécies de Pseudomonas. Estes produtos têm despertado interesse econômico pois PHAMCL são elastômeros termoplásticos biodegradáveis e ramnolipídios são surfactantes. Diversas aplicações têm sido relatadas para estes materiais tais como: c-imponentes de adesivos e tintas, filmes de recobrimento e componentes em cosméticos e alimentos. Ramnolipídios e PHAMCL apresentam em sua composição o ácido 3-hidroxidecanóico (3HD) que é gerado a partir do metabolismo de ácidos graxos (biossíntese ou degradação). Assim, o metabolismo de síntese de cada um destes produtos pode apresentar passos comuns ou, pelo menos, a síntese de um deve interferir na do outro. O Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPT) vem estudando a produção de PHAMCL desde 1998 e de ramnolipídios desde 2002. O objetivo deste trabalho é ampliar o número de isolados capazes de produzir tanto ramnolipídios como PHAMCL, permitindo uma análise mais ampla de microrganismos produtores destas substâncias, bem como estabelecer o quanto a síntese de um dos produtos interfere na do outro. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa: