Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos do alcaloide pirrolizidinico monocrotalina em hepatocitos isolados de rato.

Processo: 06/07097-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2007
Vigência (Término): 30 de abril de 2009
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Metabolismo e Bioenergética
Pesquisador responsável:Fábio Erminio Mingatto
Beneficiário:Marcos Antonio Maioli
Instituição-sede: Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus Experimental de Dracena. Dracena , SP, Brasil
Assunto(s):Hepatotoxicidade   Monocrotalina   Hepatócitos   Bioenergética   Metabolismo

Resumo

O fígado desempenha função central no metabolismo, pois recebe nutrientes e xenobióticos que são por ele absorvidos, transformados, armazenados e liberados no sangue além de produzir e armazenar a bile. As atividades de biotransformação dos xenobióticos são realizadas pelo fígado principalmente pelo citocromo P450. Grande parte dessas reações estão associadas à desintoxicação, porém elas podem representar um grande problema, pois os metabólitos produzidos podem ser altamente reativos e mais tóxicos que o composto de origem. A célula parenquimal (hepatócito) é a principal unidade funcional desse órgão e tem sido extensivamente utilizada para estudar o metabolismo e a toxicidade de uma grande variedade de drogas e substâncias químicas uma vez que propicia características adequadas ao estudo dos danos que essas substâncias e seus metabólitos podem causar. No Brasil as pesquisas sobre plantas tóxicas têm-se limitado à identificação das espécies tóxicas e determinação de sinais clínicos, e da patologia. A monocratalina é um alcalóide pirrolizidínico encontrado em plantas e que causa dentre outros efeitos, hepatotoxicidade. Essa substância está presente em várias plantas, principalmente nas da espécie Crotalaria spectabilis, leguminosa comumente utilizada como adubação verde em muitos países, inclusive no Brasil, e a intoxicação por essa substância ocorre pela ingestão de sementes que podem ser colhidas juntamente com diversas outras culturas utilizadas para a alimentação humana ou animal. Seus efeitos tóxicos podem afetar importantes organelas celulares, como as mitocôndrias, já que as mesmas representam um alvo preferencial e crítico para a ação de drogas e toxinas. Estas, no entanto, devem ser preservadas, uma vez que participam da produção de energia, homeostase de Ca2+, metabolismo molecular, estado redox e morte celular. Portanto é de suma importância elucidar os mecanismos de ação da monocrotalina para auxiliar no tratamento dos animais e humanos afetados por essa toxina.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)