Busca avançada
Ano de início
Entree

Interacao entre testosterona e serotonina na ansiedade.

Processo: 07/03937-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2007
Vigência (Término): 31 de julho de 2008
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia
Pesquisador responsável:Telma Goncalves Carneiro Spera de Andrade
Beneficiário:Lucas Palma Perez Braga
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Letras (FCL-ASSIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Assis. Assis , SP, Brasil
Assunto(s):Serotonina   Testosterona   Labirinto em cruz elevado   Núcleo dorsal da rafe   Ansiedade

Resumo

Ainda pouco se sabe sobre a distribuição de receptores de androgênios no sistema nervoso central. Estudos têm demonstrado a presença dos mesmos em várias regiões cerebrais, inclusive nos núcleos da rafe, dorsal e mediano, que são as principais fontes de inervação serotonérgica ascendente e são estruturas relacionadas com a modulação da ansiedade e da depressão. Existem diferenças entre homens e mulheres quanto a manifestação de psicopatologias. Fêmeas em diferentes espécies são mais vulneráveis à manifestação dos distúrbios de ansiedade, principalmente em situações de desequilíbrio hormonal. Níveis endógenos de testosterona, bem como sua reposição exógena têm sido relacionados com a minimização da ansiedade em homens e roedores. Assim, delineou-se a presente investigação com o objetivo de verificar a ação da testosterona nos núcleos da rafe, bem como, identificar possíveis receptores envolvidos nas respostas constatadas. Ratos machos Wistar, com peso médio de 200g, serão orquiectomizados e após um período de 7 dias serão submetidos à cirurgia estereotáxica para implante da cânula guia. Sete dias depois serão avaliados no Labirinto em Cruz Elevado (LCE) por cinco minutos e imediatamente a seguir na arena, pelo mesmo tempo, de acordo com os seguintes grupos experimentais (mínimo de 10 animais/grupo): Grupo 1 - veículo + veículo; Grupo 2 - veículo + Testosterona; Grupo 3 - Way + veículo; Grupo 4 - Way + Testosterona; Grupo 5 - Flutamina + veículo e Grupo 6 - Flutamina + Testosterona. O estudo será realizado em duas etapas: a primeira será destinada à avaliação das diferentes manipulações experimentais no núcleo dorsal da rafe (NDR) e a segunda etapa para avaliação das intervenções no núcleo mediano da rafe (NMR). Convém ressaltar que o intervalo entre a primeira e a segunda injeção será de 5 minutos. Imediatamente após a segunda injeção os animais serão submetidos à avaliação comportamental. Após avaliação comportamental os animais serão sacrificados e perfundidos com formol para possibilitar a constatação no cérebro do sítio de microinjeção. Os dados serão submetidos à análise paramétrica (ANOVA). Serão consideradas diferenças significativas quando o valor de p for menor que 0,05.