Busca avançada
Ano de início
Entree

Elaboração de uma chave interativa de acesso múltiplo para identificação dos gêneros de plantas daninhas do estado de São Paulo (monocotiledôneas, excluindo Poaceae)

Processo: 05/02297-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2005
Vigência (Término): 31 de outubro de 2006
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Taxonomia Vegetal
Pesquisador responsável:Maria Do Carmo Estanislau Do Amaral
Beneficiário:Manuela Baldave Carli
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Morfologia vegetal   Plantas invasoras   Plantas daninhas   Monocotiledôneas

Resumo

Plantas daninhas constituem um grande e heterogêneo grupo de vegetais que crescem espontaneamente ao longo de ruas, em terrenos baldios, em solos agrícolas, em represas e canais e em vários locais de importância econômica para o homem, sendo geralmente consideradas indesejáveis. O combate a plantas daninhas em agroecossistemas e em regiões urbanas causa enormes prejuízos econômicos e a invasão dessas plantas em ecossistemas naturais pode ocasionar também enormes prejuízos ecológicos. Apesar de existirem algumas obras ilustradas para identificação de plantas daninhas no Brasil, a dificuldade de acesso à informação nessas obras reside no fato das plantas estarem organizadas por famílias botânicas, de modo que já é necessário um considerável conhecimento sobre elas para possibilitar sua identificação. Além disso, as descrições das plantas nessas obras são bastante incompletas, o que às vezes impede uma identificação segura, e diversas espécies comuns até na região de Campinas não foram incluídas. Por outro lado, a identificação correta de plantas através de chaves dicotômicas impressas é um trabalho difícil, muitas vezes impossibilitado pela ausência de algumas das fases da planta, como a de floração ou de frutificação. Comparado a isso, chaves interativas de acesso múltiplo, elaboradas e utilizadas com o auxílio de computadores, apresentam diversas vantagens: o usuário pode escolher, livremente, os caracteres a serem utilizados para a identificação de um determinado organismo; pode examinar ilustrações dos caracteres e dos táxons, quando necessário, que estão incluídas na própria chave interativa; pode interagir de fato com a chave, indagando quais caracteres seriam os mais promissores para se chegar mais rapidamente a uma identificação correta de determinados táxons; pode até mesmo incluir uma margem de erro durante o processo de identificação, possibilitando chegar à correta identificação mesmo cometendo algum equívoco. Além disso, diferentemente das chaves tradicionais, o acréscimo de outros táxons ou caracteres nas chaves interativas é bastante simples e rápido. O presente projeto tem como principal objetivo elaborar, com o auxílio do programa Lucid3, uma chave interativa de acesso múltiplo para a identificação dos gêneros de plantas daninhas monocotiledôneas que ocorrem no Estado de São Paulo, com exceção de Poaceae. Uma vez finalizada, a chave interativa ficará disponível na Internet, gratuitamente, e incluirá duas opções: uma destinada a leigos e estudantes basicamente sem conhecimentos de termos botânicos e morfologia vegetal e outra que seria para o uso de especialistas e estudantes com pelo menos noções básicas de botânica.