Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação in vitro do efeito de um refrigerante modificado pela adição de íons sobre a erosão de esmalte bovino

Processo: 05/04017-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2006
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2007
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontopediatria
Pesquisador responsável:Marília Afonso Rabelo Buzalaf
Beneficiário:Samanta Mascarenhas Moraes
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Fluorose dentária   Dentifrícios   Biomarcadores   Flúor   Cariologia

Resumo

O uso clínico do flúor em termos de prevenção da cárie dentária é indiscutível, porém a exposição a este íon durante o período de formação dos dentes pode levar à fluorose dentária, o que implica na necessidade de controle da sua ingestão. Como biomarcadores da exposição ao flúor têm sido empregados plasma, saliva dos ductos e urina para exposições agudas, e osso, dentina e mais recentemente unha para exposições crônicas. Entretanto, o uso de unhas como biomarcadores de exposição subcrônica ao flúor ainda não está completamente estabelecido. Desta forma, o objetivo deste estudo será avaliar a concentração de flúor nas unhas das mãos e pés de 30 crianças, na faixa etária de 2-3 anos, quando do uso de dentifrícios com diferentes concentrações de flúor. As crianças serão aleatoriamente divididas em 3 grupos (A, B e C). Estas farão uso de dentifrício não fluoretado por 28 dias, dentifrício fluoretado nos 28 dias subseqüentes, e dentifrício não fluoretado nos 28 dias seguintes. As concentrações de flúor (NaF) nos dentifrícios a serem utilizados no segundo mês do estudo serão: Grupo A – 500 ppm, Grupo B –1000 ppm e Grupo C – 1450 ppm. A cada 2 semanas serão colhidas amostras das unhas das crianças, nos 3 meses experimentais e por mais 4 meses. Amostras de água serão coletadas das casas dos voluntários a cada 2 semanas, durante os 3 meses iniciais. Em adição, será feita uma estimativa da ingestão de flúor a partir do dentifrício fluoretado no segundo mês experimental. As amostras de unhas e de dentifrícios serão analisadas quanto ao teor de flúor, após difusão facilitada por HMDS, utilizando o eletrodo íon-específico (9409) e um eletrodo de referência calomelano. As amostras de água serão analisadas com o eletrodo íon-específico (9609) pelo método direto, após tamponamento com TISAB II. Os dados obtidos serão analisados por Análise de Variância e Análise de Regressão Linear (p<0,05).

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MAGALHAES, ANA CAROLINA; MORAES, SAMANTA MASCARENHAS; RIOS, DANIELA; WIEGAND, ANNETTE; RABELO BUZALAF, MARILIA AFONSO. The Erosive Potential of 1% Citric Acid Supplemented by Different Minerals: An In Vitro Study. ORAL HEALTH & PREVENTIVE DENTISTRY, v. 8, n. 1, p. 41-45, 2010. Citações Web of Science: 9.
MAGALHAES, A. C.; MORAES, S. M.; RIOS, D.; BUZALAF, M. A. R. Effect of ion supplementation of a commercial soft drink on tooth enamel erosion. FOOD ADDITIVES AND CONTAMINANTS PART A-CHEMISTRY ANALYSIS CONTROL EXPOSURE & RISK ASSESSMENT, v. 26, n. 2, p. 152-156, 2009. Citações Web of Science: 16.
SAMANTA MASCARENHAS MORAES; JULIANO PELIM PESSAN; IRENE RAMIRES; MARÍLIA AFONSO RABELO BUZALAF. Fluoride intake from regular and low fluoride dentifrices by 2-3-year-old children: influence of the dentifrice flavor. Brazilian Oral Research, v. 21, n. 3, p. -, Set. 2007.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.