Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do verniz de tetrafluoreto de titânio sobre a erosão do esmalte dentário in vitro

Processo: 06/00263-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2006
Vigência (Término): 31 de março de 2007
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Marília Afonso Rabelo Buzalaf
Beneficiário:Fernanda Herrera Stancari
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Bioquímica   Erosão dentária   Titânio   Esmalte dentário

Resumo

Este projeto tem como objetivo estudar o efeito da aplicação tópica de um verniz e de uma solução de tetrafluoreto de titânio (TiF4 4%) sobre a erosão do esmalte dentário. Caso este efeito esteja presente, a sua durabilidade também será avaliada. Para tal, 120 blocos de esmalte bovino (4x4mm) serão selecionados pela microdureza de superfície (SMH inicial), protegidos em metade da superfície com esmalte cosmético de unha e permanecerão durante 24 h em saliva humana, para a formação da película adquirida. Após este período, estes blocos serão divididos em 6 grupos de acordo com o tipo de agente fluoretado: verniz Duraphat – D (padrão ouro), verniz Duofluorid – F (controle positivo), verniz TiF4 - VE (experimental), solução TiF4 a 4% -SE (experimental), verniz sem flúor -P (controle negativo VE) e água deionizada – A (controle negativo SE). Os vernizes serão aplicados e permanecerão em contato com o esmalte durante 6 h. A solução e a água serão aplicadas durante 1 min. Os blocos serão colocados em saliva artificial por mais 24 h. Na seqüência serão submetidos à ciclagem de pH. Cada dia de ciclagem será composto por 6 ciclos de desmineralização (refrigerante Coca-cola® -10 min) e remineralização (saliva artificial-60 min), sob temperatura ambiente. Ao final de cada ciclagem, os blocos ficarão imersos em saliva artificial, overnight (12h), a 37oC. Depois de 1, 3 e 7 dias de ciclagem, a microdureza será realizada (SMH1), para permitir o cálculo da perda de microdureza de superfície (%SMHC). O desgaste da superfície de esmalte será mensurado da parte hígida (protegida) para a erodida, através da perfilometria. Os dados obtidos serão submetidos à análise estatística (p<0,05).

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.