Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigacao do efeito da violaceina sobre o balanco proliferacao/ apoptose em celulas tumorais de colon: papel das especies reativas de oxigenio.

Processo: 03/02189-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2003
Vigência (Término): 30 de junho de 2006
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biofísica - Biofísica Celular
Pesquisador responsável:Nora Marcela Haun Quiros
Beneficiário:Daniela Diogenes de Carvalho
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Auxílio(s) vinculado(s):03/10652-3 - Investigação do efeito da violaceína sobre o balanço proliferação / apoptose em células tumorais de cólon: papel das espécies reativas de oxigênio, AP.PRIM
Assunto(s):Estresse oxidativo   Espécies de oxigênio reativas   Apoptose

Resumo

Os processos de proliferação e morte celulares são opostos e mutuamente contraditórios, porém são dois eventos intimamente ligados. Como conseqüência do metabolismo celular, as espécies reativas de oxigênio (EROs) são constantemente geradas em condições normais, porém quando ERO ultrapassa o sistema antioxidante de defesa da célula, o equilíbrio redox é alterado, e o resultado é o estresse oxidativo. A geração de EROs foi demonstrada na apoptose mediada por TNF e Apo1/Fas, e por meio da elevação da concentração de Ca+2 citoplasmática, alterando eventos mitocondriais. As propriedades antitumorais em células de leucemia confere à Violaceína, principal pigmento produzido pela bactéria Chromobacterum violaceum, características de um bom candidato aos testes de citotoxicidade e indução de apoptose em células tumorais de cólon. O objetivo deste trabalho é avaliar o potencial indutor de diferenciação celular e apoptose da violaceína livre e encapsulada em PHAs sobre células tumorais de cólon. Verificando a implicação das espécies reativas de oxigênio na morte celular induzida pelo ativo, com o intuito de examinar se EROs são mediadores críticos da apoptose em células Caco-2 e HT29-D4, e seu papel na seqüência de eventos que levam a ativação das caspases, esclarecendo o mecanismo de ação do composto. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa: