Busca avançada
Ano de início
Entree

Fortes correlações eletrônicas e magnéticas em óxidos e intermetálicos

Processo: 04/01389-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2004
Vigência (Término): 31 de julho de 2005
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física - Física da Matéria Condensada
Pesquisador responsável:Carlos Rettori
Beneficiário:Ricardo Rodrigues Urbano
Instituição-sede: Instituto de Física Gleb Wataghin (IFGW). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:00/08649-6 - Estudo de sistemas com forte correlação magnética e eletrônica, AP.TEM
Assunto(s):Férmions pesados   Magnetismo   Supercondutividade

Resumo

O projeto propõe o estudo das propriedades físicas de sistemas magnéticos com elétrons fortemente correlacionados. Experimentos sistemáticos, unidos a apropriada abordagem teórica, darão contribuição muito importante para o entendimento dos fenômenos que governam as propriedades físicas destes sistemas. Como candidatos, escolhemos os férmions pesados (CeMIn{5}, YbAI{3}, Ce{3}Co{4}Sn{13}), as manganitas (ex. Y{1-x}(Sr, Ba){x}MnO{3}) e os hexaboretos (Ca{1-x}(La, Gd, Eu){x}B{6}). Com relação aos férmions pesados, estaremos explorando a possível ocorrência de ponto crítico quântico e os efeitos em sua vizinhança, comportamento tipo não-líquido de Fermi no estado normal, bem como a correlação não trivial de coexistência e/ou competição entre magnetismo e supercondutividade presente no diagrama de fases destes matérias, sempre com a atenção voltada ao sutil balanço entre localização magnética e itinerância eletrônica. Para as manganitas, propomos realizar a caracterização magnética e eletrônica do sistema citado, uma vez que resultados preliminares apontam para diagramas de fases muito interessantes do ponto de vista estrutural. Para os hexaboretos, a proposta é analisar, confrontar e interpretar o papel da dopagem dos íons de La{3+}, Gd{3+} e Eu{2+} em substituição ao íon de Ca{2+1 na matriz CaB{6), através dos espectros de estrutura fina (efeitos de CEF) de RPE. (AU)