Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência do polimorfismo T-786C da sintase endotelial do óxido nítrico na resposta à inibição aguda da fosfodiesterase 5 em hipertensos refratários

Processo: 09/13774-9
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2010
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Clínica
Pesquisador responsável:Heitor Moreno Junior
Beneficiário:Caroline Demacq Souza Tarlá
Instituição Sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Farmacogenética   Polimorfismo genético
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Enos | hipertensão resistente | inibidor de fosfodiesterase 5 | Polimorfismo | Sildenafil | Farmacogenética

Resumo

A disfunção endotelial é um dos mecanismos envolvidos na manutenção dos níveis elevados da pressão arterial (PA) em hipertensos refratários, a qual, por sua vez, está diretamente relacionada à via NO-GMPcíclico. O inibidor da fosfodiesterase 5, citrato de sildenafil, causa discretos efeitos sobre a pressão arterial em hipertensos tratados. Porém, é desconhecido se o uso simultâneo do sildenafil e, no mínimo, mais três classes de anti-hipertensivos em pacientes com hipertensão arterial refratária (HAR), pode ter efeito sinérgico sobre a PA destes indivíduos. Ainda, o sildenafil potencializa os efeitos do NO endógeno produzido pela eNOS. Portanto parece lógico que os efeitos agudos do sildenafil possam ser modulados por polimorfismos da eNOS, pois estes podem afetar as concentrações teciduais de NO. Estas, por sua vez, condicionarão diferentes respostas ao sildenafil. Objetivo Investigar a influência do polimorfismo T-786C da eNOS nos efeitos agudos do citrato de sildenafil sobre a hemodinâmica e a função cardiovascular em pacientes portadores de HAR. Casuística e Métodos: Cerca de 120 pacientes com HAR serão genotipados para o polimorfismo T-786C da eNOS para a seleção de 15 indivíduos com o genótipo TT e 15, com o genótipo CC, a serem estudados. Os pacientes serão monitorados com o sistema Portapres (hemodinâmica não-invasiva). Após administração de placebo e registro das variáveis em estudo será administrado doses crescentes de citrato de sildenafil (0.25, 0.50, 2.5, 5.0, 25.0, 50.0 e 100.0 mg). Um minuto antes de cada nova dose, serão registradas, novamente, as variáveis em estudo. Hipótese: Esperamos que o citrato de sildenafil, conjuntamente ao efeito anti-isquêmico, melhore o padrão hemodinâmico observado nestes pacientes e, ainda, que o polimorfismo T-786C module essa resposta. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)