Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do potencial antimutagênico da Baccharis dracunculifolia em sangue periférico e medula óssea de ratos Wistar

Processo: 06/06292-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2007
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2007
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Análise Toxicológica
Pesquisador responsável:Denise Crispim Tavares Barbosa
Beneficiário:Jacqueline Morais Alves
Instituição-sede: Pró-Reitoria Adjunta de Pesquisa e Pós-Graduação. Universidade de Franca (UNIFRAN). Franca , SP, Brasil
Assunto(s):Sangue periférico   Baccharis dracunculifolia   Medula óssea   Testes de mutagenicidade   Testes para micronúcleos   Ratos Wistar   Própolis   Antimutagênicos

Resumo

A Baccharis dracunculifolia D. C. pertencente à família Asteraceae, mais conhecida como alecrim do campo ou vassourinha, é um arbusto que cresce no cerrado brasileiro, usado na medicina popular como um remédio desde 300 a.C. como um antiinflamatório e no tratamento de doenças gastrointestinais. A B. dracunculifolia é a mais importante origem botânica da própolis brasileira, chamada própolis verde, devido sua coloração. Nos países asiáticos a própolis verde é conhecida por suas propriedades hepatoprotetora e antitumoral, além de atividade anticariogênica. Uma vez que a produção de radicais livres e conseqüente indução de mutações cromossômicas estão envolvidas no processo de carcinogênese, e considerando-se que os efeitos terapêuticos da própolis podem ser atribuídos em parte à sua atividade antioxidante, tornar-se relevante estudar a influência da B. dracunculifolia sobre as freqüências de micronúcleos em eritrócitos policromáticos de sangue periférico e de medula óssea de ratos Wistar. Considerando-se o uso potencial da B. dracunculifolia como fitoterápico, estes estudos devem contribuir para o melhor entendimento de sua ação no organismo humano. (AU)