Busca avançada
Ano de início
Entree

Osteogênese in vitro sobre vitrocerâmica 100% cristalina e altamente bioativa (biosilicato): efeitos do condicionamento de superfície e dos produtos de dissolução iônica

Processo: 08/53939-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2008
Vigência (Término): 30 de setembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Paulo Tambasco de Oliveira
Beneficiário:Nathalia Santoro de Castro
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Matriz extracelular   Citoesqueleto   Cultura de células   Vitrocerâmica   Osteogênese

Resumo

Diversos estudos mostram os benefícios da utilização de materiais vítreos bioativos como substitutos ósseos. Entretanto, o uso de vidros bioativos para aplicação em engenharia de tecido ósseo é limitado em virtude de suas propriedades mecânicas inadequadas. Uma das estratégias para contornar essa limitação tem sido o desenvolvimento de novos materiais vitrocerâmicos, obtidos por meio da cristalização controlada de vidros bioativos. Estudo recente de nosso grupo mostrou que uma nova vitrocerâmica 100% cristalina e altamente bioativa (Biosilicato), do sistema P2O5-Na2O-CaO-SiO2, desenvolvida pelo Laboratório de Materiais Vítreos da UFSCar, favorece o aumento expressivo de áreas de matriz mineralizada em culturas osteogênicas (Moura et al., 2007). Considerando que são as interações iniciais célula-matriz-substrato que definem as características do tecido que será formado sobre a superfície do material, o objetivo deste trabalho é avaliar o efeito do condicionamento e dos produtos de dissolução iônica do Biosilicato sobre os seguintes aspectos da osteogênese in vitro: 1) morfologia celular em 1 e 3 dias por MEV; 2) organização do citoesqueleto em 1 e 3 dias por imunolocalização de actina, vimentina, tubulina e vinculina; 3) viabilidade celular e número total de células em 1, 3 e 7 dias; 4) imunolocalização das proteínas fibronectina, osteopontina e sialoproteina óssea em 1,3 e 7 dias; 5) atividade de fosfatase alcalina e conteúdo de proteína total em 10 dias; 6) detecção de áreas de matriz calcificada em 14 dias. (AU)