Busca avançada
Ano de início
Entree

Vínculos da distância de Dyer-Roeder e lentes gravitacionais em cosmologias aceleradas

Processo: 08/52890-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2008
Vigência (Término): 31 de julho de 2010
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Astronomia - Astrofísica Extragaláctica
Pesquisador responsável:Laerte Sodré Junior
Beneficiário:Rose Clívia Santos
Instituição-sede: Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Matéria escura   Energia escura

Resumo

O objetivo central deste projeto é investigar a natureza do setor escuro do universo (matéria escura e energia escura) à luz dos mais recentes dados astrofísicos e cosmológicos. Vários testes cosmológicos associados a diferentes fenomenologias serão considerados, dentre eles: a estatística de lentes gravitacionais (LG) e o "time delay" de imagens múltiplas, o shear cósmico, a distância de luminosidade, o diâmetro angular de objetos distantes, emissão em Raios-X dos aglomerados de galáxias e a idade de objetos velhos em altos redshifts. Os dados associados a esses fenômenos fornecerão limites observacionais sobre as seguintes quantidades básicas: parâmetro de Hubble, de densidade da matéria e energia escura, de desaceleração, das flutuações de densidade na escala de 8 Mpc e, w o parâmetro que define a equação de estado da energia escura. Um dos aspectos mais relevantes de nossa pesquisa é que toda análise será efetuada no contexto de modelos inomogêneos. A existência de estruturas na escala de galáxias e aglomerados implica que o universo não é perfeitamente homogêneo e isotrópico e, portanto, feixes de luz provenientes dos objetos distantes sentem a presença das inomogeneidades através do efeito de LG. Este efeito será quantificado pela equação de Dyer-Roeder, um procedimento de média que pode afetar significantemente as diferentes escalas de distância. Os testes cosmológicos conhecidos serão refeitos seguindo essa nova abordagem e uma comparação com os chamados testes de "background", será efetuada. Em modelos inomogêneos, as distâncias dependem do parâmetro de aglomeramento (alpha). Uma dependência de alpha com a escala, direção ao longo da linha de visada e com o redshift (z) é esperada e algumas propostas fenomenológicas sugeridas na literatura serão criticamente analisadas. Os métodos estatísticos de máxima verossimilhança e outros mais poderosos, como o da matriz de covariância de Fischer, serão aplicados aos dados disponíveis mais recentes. Combinando os diferentes testes, restringiremos os possíveis espaços associados aos parâmetros de interesse físico, a fim de decidir qual candidato a energia escura é o mais adequado ao novo paradigma cosmológico. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
STEIGMAN, G.; SANTOS, R. C.; LIMA, J. A. S. An accelerating cosmology without dark energy. Journal of Cosmology and Astroparticle Physics, n. 6 JUN 2009. Citações Web of Science: 42.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.