Busca avançada
Ano de início
Entree

Aporte e decomposicao de serrapilheira em fragmentos do planalto atlantico paulista.

Processo: 08/58357-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2009
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Pesquisador responsável:Alexandre Adalardo de Oliveira
Beneficiário:Juliana Lopes Vendrami
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Serrapilheira   Decomposição   Fragmentação

Resumo

A queda e a conseqüente decomposição da serrapilheira são processos vitais para a manutenção dos ecossistemas florestais, visto que através desses processos ocorre a transferência dos nutrientes da vegetação para o solo. Este fenômeno é essencial para o crescimento e desenvolvimento das comunidades vegetais. Sendo assim, quaisquer perturbações no aporte e no processo de decomposição podem culminar em mudanças na dinâmica dos ecossistemas florestais. Nos ambientes tropicais e em especial na Floresta Atlântica, o desmatamento, a fragmentação e os diferentes usos da terra resultaram em fragmentos florestais secundários de estádios sucessionais distintos. Neste contexto, propõe-se o presente estudo com o objetivo de testar a hipótese de que as florestas de estádios sucessionais mais avançados apresentam maior aporte de serrapilheira e maior taxa de decomposição em comparação a florestas de estádios mais iniciais. Para testar a hipótese sobre a decomposição, será realizado um experimento utilizando folhas de uma espécie " exótica, Tipuana tipu (Benth.) Kuntze, Fabaceae, em bolsas distribuídas em seis fragmentos florestais de diferentes estádios sucessionais no Planalto Atlântico Paulista (municípios de Piedade e Tapiraí) e na área de floresta contínua (controle) no Parque Estadual de Jurupará (município de Ibiúna). Estas bolsas (20 cm x 20 cm) contêm cada uma 3g de, folhas secas da espécie, sendo depositadas 60 bolsas por floresta. Após 1, 3, 5, 7,10 e 13 meses as bolsas serão coletadas, secadas em estufa e pesadas para o cálculo da taxa de decomposição. Para a hipótese sobre o aporte de serrapilheira, serão utilizados 73 coletores de 0,25m2 distribuídos nas mesmas áreas do experimento de decomposição, sendo nove em cada área. A serrapilheira dos coletores será retirada mensalmente durante os meses do experimento de decomposição, sendo secadas em estufa e pesadas. Para testar a diferença na biomassa seca e na taxa de decomposição entre as sete áreas, será utilizado uma Anova fatorial. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
VENDRAMI, JULIANA LOPES; JURINITZ, CRISTIANE FOLLMANN; CASTANHO, CAMILA DE TOLEDO; LORENZO, LEDA; DE OLIVEIRA, ALEXANDRE ADALARDO. Litterfall and leaf decomposition in forest fragments under different successional phases on the Atlantic Plateau of the state of Sao Paulo, Brazil. BIOTA NEOTROPICA, v. 12, n. 3, p. 136-143, JUL-SEP 2012. Citações Web of Science: 9.
JULIANA LOPES VENDRAMI; CRISTIANE FOLLMANN JURINITZ; CAMILA DE TOLEDO CASTANHO; LEDA LORENZO; ALEXANDRE ADALARDO DE OLIVEIRA. Litterfall and leaf decomposition in forest fragments under different successional phases on the Atlantic Plateau of the state of Sao Paulo, Brazil. Biota Neotropica, v. 12, n. 3, p. -, Set. 2012.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.