Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo comparativo dos diagnósticos macro e microscópicos de autópsias: análise das dificuldades e possíveis causas de erro

Processo: 00/06625-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2000
Vigência (Término): 31 de agosto de 2002
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Patricia Maluf Cury
Beneficiário:Camilo de Viterbo Idalino
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). São José do Rio Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Autopsia   Atestado de óbito   Microscopia

Resumo

A autópsia consiste do diagnóstico macroscópico e do microscópico que, em conjunto, formarão o laudo definitivo da autópsia. Para o atestado de óbito, entretanto, dispomos apenas do diagnóstico macroscópico, pois é necessário que atestado seja liberado imediatamente após a autópsia para liberação do cadáver. Na elaboração do laudo definitivo, muitas vezes o diagnóstico microscópico pode modificar o diagnóstico dado apenas pela macroscopia. Como a maioria dos estudos epidemiológicos sobre causas de morte são baseados apenas no laudo do atestado de óbito, muitas vezes os dados obtidos não são fidedignos. O conhecimento das dificuldades inerentes à macroscopia é de importância não somente para o próprio patologista como também para a interpretação dos estudos baseados apenas nos diagnósticos fornecidos pelo atestado de óbito. Neste trabalho serão analisados 100 casos de autópsia realizados em pacientes que faleceram no Hospital de Base da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto, comparando o laudo macroscópico com o microscópico. Posteriormente, serão discutidas as dificuldades inerentes à limitação da macroscopia e aquelas secundárias a erros de diagnóstico que, eventualmente, poderiam ser evitados. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.