Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos do sistema de metas de inflação nos diferentes setores da economia brasileira

Processo: 05/00840-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2005
Vigência (Término): 30 de junho de 2006
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Economia Doméstica
Pesquisador responsável:Rudinei Toneto Junior
Beneficiário:Míriam Cristina Fogalle
Instituição-sede: Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEARP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Crescimento econômico   Política monetária   Inflação   Preços   Tarifas

Resumo

Por que sempre que se observa uma retomada da economia enxerga-se pressões inflacionárias e a política monetária tenta abortar o crescimento? Será que o regime de metas de inflação é, de fato, o melhor regime monetário para o Brasil, como colocado para os demais países? Para respondermos a essas perguntas é necessário analisar determinadas características da economia brasileira. Duas das mais relevantes são a presença de choques recorrentes e de mecanismos que os propaguem, com destaque para os reajustes de tarifas (preços administrados). Assim, analisar a relação delas com o regime de metas inflacionárias e o crescimento econômico torna-se de crucial importância para avaliarmos as reais possibilidades do país retomar o crescimento de forma duradoura. Então, entender como a implantação do regime de metas de inflação no Brasil tem atingido de forma diferenciada os setores produtivos e suas possibilidades de expansão são de extrema importância para podermos verificar as nossas possibilidades de crescimento estável. Este é o objeto deste trabalho: analisar o sistema de metas de inflação (SMI) frente a determinadas características da economia brasileira, com destaque para as diferentes regras de formação de preços entre os setores, e seu impacto diferenciado entre eles. O objetivo central deste trabalho é, então, comparar o desempenho dos diferentes setores econômicos em termos de: evolução dos preços, e lucratividade e investimento das empresas no período do SMI no Brasil. (AU)