Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da concentração de minerais em amostras de vegetais de cultura orgânica e convencional utilizando extração por ultrassom

Processo: 08/05689-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2009
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Pesquisador responsável:Pedro de Magalhães Padilha
Beneficiário:Luciana de Arruda Garcia
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Minerais (química inorgânica)   Extratos vegetais

Resumo

A determinação de cálcio, cobre, ferro, manganês, selênio e zinco por espectrometria de absorção atômica em chama e em forno de grafite (FAAS/GFAAS), e a comparação entre estes minerais em amostras de vegetais de cultura convencional e orgânica certificada, representa o foco principal do trabalho a ser realizado. Os elementos que serão determinados são importantes para a nutrição vegetal e humana, além de servirem como uma diferenciação inicial entre os cultivos convencional e orgânico certificado. O trabalho busca desenvolver metodologias para determinações de nutrientes metálicos, que fazem parte de análises de rotina, feitas na área de nutrição de plantas. O principal objetivo visa o desenvolvimento de um estudo de comparação da concentração cálcio, cobre, ferro, manganês, selênio e zinco em amostras de berinjela, chicória e quiabo, cultivados de modo convencional e orgânico certificado, utilizando-se ultrassonificação no processo de extração dos analitos. Normalmente, essa extração é feita por digestão nítrica/perclórica em bloco digestor, gerando como resíduo químico, um extrato ácido contendo íons dos elementos metálicos e não metálicos. Este processo é extremamente lento e apresenta certo grau de periculosidade para o analista, além de resíduos ambientais. Serão estudados os principais parâmetros que influenciam o processo de extração e determinação dos nutrientes das amostras, como: granulometria da amostra sólida, tempo e potência de sonificação na extração ultrassônica, diferentes soluções ácidas, programas de aquecimento e tipos modificadores químicos no processo de atomização do Cu, Mn e Se que serão determinados por GFAAS. A proposta de trabalho poderá reduzir o tempo das determinações desses nutrientes, em análises dentro da área de nutrição e a produção de resíduos tóxicos que podem comprometer a saúde do analista e contaminar o ambiente. (AU)