Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da pré-medicação com acepromazina associada à metadona, morfina ou meperidina na dose de indução anestésica do propofol e alterações cardiopulmonares em cães

Processo: 08/02572-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2008
Vigência (Término): 30 de junho de 2009
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária
Pesquisador responsável:Celina Tie Nishimori Duque
Beneficiário:Milena de Oliveira Moreira
Instituição-sede: Pró-Reitoria Adjunta de Pesquisa e Pós-Graduação. Universidade de Franca (UNIFRAN). Franca , SP, Brasil
Assunto(s):Morfina   Meperidina   Cães   Medicação pré-anestésica   Anestesiologia veterinária   Metadona

Resumo

A medicação pré-anestésica facilita a indução anestésica, tornado-a mais tranqüila, reduzindo o estresse dos animais, além de diminuir a dose dos anestésicos podendo, consequentemente, atenuar ou mesmo evitar seus efeitos adversos.O propofol é um hipnótico de curta duração de uso exclusivamente intravenoso, comumente empregado para indução e manutenção da anestesia em cães, pois promove inconsciência de maneira rápida, tranqüila e segura em animais saudáveis, com mínimo efeito cumulativo. Entretanto, não é um bom analgésico, sendo comum associá-lo a outros agentes que confiram analgesia. Nesse sentido, a morfina é um opióide agonista m (OP3) puro, considerado o fármaco padrão, que possui boa analgesia. A meperidina apresenta efeito hipnoanalgésico semelhante ao da morfina, porém com potência analgésica cerca de 10 vezes menor. Possui também menor atividade hipnótica. Já a metadona é um opióide sintético que possui também afinidade adicional aos receptores N-metil-D-aspartato (NMDA) e a-2 adrenérgicos, possuindo efeito analgésico farmacologicamente semelhante ao da morfina. Dessa forma, esses fármacos têm sido utilizados como medicação pré-anestésica em associação com tranqüilizantes ou sedativos para produzir sedação profunda ou, ainda, no período perioperatório. Entretanto, existem poucas informações disponíveis referentes aos efeitos da administração da metadona associada à acepromazina como medicação pré-anestésica e como coadjuvante na anestesia com propofol, comparada a outros opióides. Assim, diante do exposto, considerou-se pertinente comparar os efeitos cardiorrespiratórios das associações acepromazina-metadona, acepromazina-morfina ou acepromazina-meperidina, como medicação pré-anestésica em cães induzidos à anestesia com propofol, bem como verificar a influência dos fármacos sobre a dose de indução do propofol.