Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação Sorológica e Molecular da Infecção por Anaplasma platys em Cães com Trombocitopenia

Processo: 09/09466-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2009
Vigência (Término): 31 de agosto de 2010
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Mitika Kuribayashi Hagiwara
Beneficiário:Mariana Uchôa Lyra
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Sorologia   Trombocitopenia   Clínica médica   Cães   Reação em cadeia por polimerase (PCR)

Resumo

Devido à alta incidência de Erliquiose Monocítica Canina, principalmente em locais nos quais há prevalência significativa de carrapatos da espécie Rhipicephalus sanguineus, é comum a tendência clínica de se associar a trombocitopenia à infecção por Ehrlichia canis. Entretanto, outras doenças, também transmitidas por carrapatos, como as infecções pelas demais espécies de Ehrlichia spp. ou por Anaplasma spp., também podem resultar em trombocitopenia. Dentre essas, embora seja uma infecção mais benigna, a Trombocitopenia Cíclica Canina, causada por Anaplasma platys, tem sido falhamente diagnosticada pela inexistência de testes sorológicos comerciais até o momento presente, e pela ainda reduzida disponibilidade de testes moleculares para fins clínicos. A reatividade sorológica cruzada entre as espécies pertencentes ao gênero Anaplasma spp., comprovada na literatura e na prática, pode possibilitar a utilização de testes desenvolvidos para a detecção de anticorpos dirigidos contra proteínas antigênicas de Anaplasma phagocytophilum no diagnóstico sorológico da infecção por A. platys. A pesquisa de material genético do agente e sua caracterização por técnicas moleculares permitirão a confirmação a presença de A. platys. O presente estudo visará primordialmente avaliar em cães trombocitopênicos a ocorrência de infecção presente ou passada por A. platys, por meio de testes sorológicos e testes moleculares, bem como a possibilidade de infecções concomitantes por E. canis e A. platys.