Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise do posicionamento ético de estudantes de enfermagem e de medicina Diante de uma situação de dilema - antes e após o conhecimento da disciplina de bioética

Processo: 06/50209-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2006
Vigência (Término): 31 de maio de 2007
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Medicina Legal e Deontologia
Pesquisador responsável:Cléa Regina de Oliveira Ribeiro
Beneficiário:Virgillian Barboza Canovas
Instituição-sede: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Paternalismo   Bioética   Autonomia

Resumo

Acredita-se que, no Brasil, haja uma tendência paternalista da sociedade no que tange a revelação de situações diagnósticas e prognósticas desfavoráveis ao indivíduo doente e seus familiares, um dilema biótico comum à população em geral e aos profissionais da saúde. Nesse sentido, seria de grande interesse conhecer qual é o posicionamento de alunos de cursos da Saúde ao ingressarem na graduação, pois ainda podem ser considerados, como portadores da opinião comum da população geral e, após terem contato com a Bioética passam a apresentar uma postura crítica mais próxima daquela do profissional de saúde atuante. Assim, a postura deste estudo é avaliar se há mudanças na postura ética de estudantes de Enfermagem e Medicina, antes e após o contato com os conteúdos de Bioética, no que tange a posturas paternalistas ou autonomistas frente a uma situação de dilema ético determinada, a saber, a revelação ou não do diagnóstico / prognóstico de doenças com evolução sabidamente desfavoráveis e eminentemente letais (como por exemplo, as neoplasias e HIV / AIDS). As populações a serem pesquisadas, que tenham tido contato ou não com a disciplina Bioética, contam com cerca de 1400 alunos, sendo: 320 alunos de Enfermagem da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (EERP-USP), do 1º ao 4º ano; 480 alunos da Enfermagem do Centro Universitário Claretiano de Batatais (CEUCLAR), do 1º ao 3º ano; 600 alunos de Ciências Médicas da Faculdade de Mediana de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. (AU)