Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do aumento da carga orgânica sobre a eficiência de um reator anaeróbio operado em batelada sequencial contendo biomassa granulada tratando esgoto sintético

Processo: 03/03883-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2003
Vigência (Término): 31 de julho de 2004
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Sanitária - Tratamentos de Águas de Abastecimento e Residuárias
Pesquisador responsável:Suzana Maria Ratusznei
Beneficiário:Fabiana Xavier Chebel
Instituição-sede: Escola de Engenharia Mauá (EEM). Instituto Mauá de Tecnologia. São Caetano do Sul , SP, Brasil
Assunto(s):Tratamento biológico anaeróbio   Tratamento de esgotos sanitários   Esgotos sanitários   Biomassa granulada   Reatores anaeróbios em bateladas sequenciais

Resumo

Com o principal objetivo, do estudar novas configurações de reatores anaeróbios operados em batelada, visando o desenvolvimento e a otimização do processo para a conseqüente viabilização de sua aplicação prática, os grupos de pesquisa da Escola de Engenharia, Mauá (IMT) e da Escola de Engenharia de São Carlos (USP) trabalham em conjunto desde 1998 com o apoio da FAPESP. Uma das linhas de pesquisa nessas instituições está voltada para o reator anaeróbio operado em batelada contendo biomassa auto-imobilizada na forma de grânulos, cujos resultados obtidos nas investigações sobre à influência da intensidade de agitação e da estratégia de alimentação foram promissores. Atualmente, investiga-se o tratamento de soro de queijo analisando-se a carga orgânica e a necessidade de suplementação de alcalinidade. Neste, contexto, esse projeto terá como objetivo principal a avaliação operacional desse reator anaeróbio operado em batelada, contendo biomassa granulada, quando submetido a diferentes cargas orgânicas, variando-se o tempo do ciclo e à concentração da água residuária sintética. Os resultados serão comparados com um sistema operado nas mesmas condições, utilizando biomassa imobilizada, realizado no laboratório de Engenharia Bioquímica da Escola de Engenharia Mauá, o qual fez parte de um projeto de mestrado (Processo FAPESP 01/02.045-4). (AU)