Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo morfológico e histoquímico das glândulas salivares larvais de Apis mellifera sob a ação de inseticida análogo ao hormônio juvenil

Processo: 08/55145-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2009
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biologia Geral
Pesquisador responsável:Elaine Cristina Mathias da Silva Zacarin
Beneficiário:Bárbara Nobrega Rodrigues
Instituição-sede: Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Campus de Sorocaba. Sorocaba , SP, Brasil
Assunto(s):Toxicologia   Ultraestrutura   Morte celular programada   Histoquímica   Secreção

Resumo

As glândulas salivares larvais das abelhas fornecem um modelo adequado para o estudo da morte celular induzida por, hormônio em insetos himenópteros, uma vez que ela tem um ciclo secretor bem definido com um pico de atividade secretora, antes da tecitura do casulo, e uma fase degenerativa, logo após a tecitura do casulo. Essas glândulas são conhecidas como glândulas de seda porque sua principal função é a síntese da seda para a formação do casulo, no interior do qual a larva sofrerá metamorfose no fim da fase larval. No entanto, um outro tipo de secreção (rica em glicoproteínas) é produzido pelas glândulas salivares larvais de Apis mellifera. Desde que as fases secretoras e degenerativas das glândulas salivares larvais estão bem caracterizadas, qualquer modificação na síntese da secreção glandular ou no processo de morte celular programada, induzida por xenobióticos, podem ser diagnosticados. Sabe-se que as operárias forrageiam em áreas agrícolas e, durante essa atividade, podem ser contaminadas pelos princípios ativos dos inseticidas utilizados nas plantações para combater insetos-praga. Há grande possibilidade de tanto o pólen como o néctar contaminado serem introduzidos na colméia pelas operárias forrageiras e, indiretamente, afetar as larvas durante o processo de alimentação pelas operárias nutridoras. Desde que as glândulas salivares larvais absorvem substâncias da hemolinfa, tais como precursores dos produtos glandulares, elas podem absorver compostos químicos presentes na hemolinfa, os quais foram absorvidos pelo intestino, mas ainda não tenham sido excretados pelos túbulos de Malpighi. Dessa forma, os componentes dos inseticidas podem induzir alterações morfológicas e/ou histoquímicas na porção secretora da glândula de seda. O objetivo do presente projeto é avaliar a ação de um inseticida análogo ao hormônio juvenil (piriproxifeno) nas glândulas salivares larvais de Apis mellifera, em condições laboratoriais, tanto por meio de análises morfológicas quanto histoquímicas. Uma vez que o pico de secreção glandular e a entrada no processo de morte celular programada são ativados pela alta concentração de ecdisona a aplicação de um inseticida análogo ao HJ node afetar ambos processos. (AU)