Busca avançada
Ano de início
Entree

Padrões de distribuição das espécies de Lauxaniidae (Diptera, Schizophora) ao longo da Floresta Atlântica

Processo: 05/60435-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2006
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2006
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Taxonomia dos Grupos Recentes
Pesquisador responsável:Vera Cristina Silva
Beneficiário:Juliana Inoue
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Letras (FCL-ASSIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Assis. Assis , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:03/10274-9 - Limites geográficos e fatores causais de endemismo na Mata Atlântica em Diptera, AP.BTA.TEM
Assunto(s):Lauxaniidae   Diptera   Biogeografia

Resumo

A grande cobertura florestal conhecida como Floresta Atlântica, até o século XIX, ocupou uma faixa ampla, com cerca de um milhão de quilômetros quadrados de superfície. Ainda hoje a Floresta Atlântica abriga uma enorme diversidade biológica. Este projeto Iniciação Científica insere-se em um projeto maior de estudo biogeográfico de Diptera na região Neotropical (Proc. 03/10.274-9), dentro do Programa BIOTA/SP, e faz parte da equipe que tem como enfoque os dípteros acaliptrados. Neste projeto particular, pretende-se analisar a distribuição de espécies da família Lauxaniidae ao longo da Floresta Atlântica, coletados com armadilha Malaise, verificando se os limites de distribuição das espécies dentro desta família são concordantes ou não com os padrões conhecidos para outros grupos cuja presença na região Neotropical pode ser associada à tectônica de placa, ou seja, de origem gondwânica. A família Lauxaniidae é pouco estudada na região Neotropical, apesar dos 57 gêneros e 358 espécies que constituem a diversidade do grupo na região. O material a ser utilizado é aquele coletado com armadilha Malaise, completando a análise de material da família dentro do Projeto BIOTA/Diptera. O objetivo deste trabalho é a produção de mapas de distribuição de espécies de lauxaniideos ao longo da Floresta Atlântica a partir de identificações confiáveis e a comparação desses resultados com os dados de limites de endemismo de outros grupos de organismos para os quais haja informação disponível. (AU)