Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência dos TLRs 2 e 4 na internalização de micropartículas de titânio, zircônia e polietileno por macrófagos murinos

Processo: 08/10016-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2009
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Dagmar Ruth Stach - Machado
Beneficiário:Henrique de Oliveira Bianchi
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Biomateriais   Próteses e implantes   Fagocitose   Macrófagos

Resumo

A busca da integração osso-implante levou ao desenvolvimento de materiais biocompatíveis e de novas técnicas cirúrgicas, maximizando o sucesso clínico. Entretanto, algumas vezes este processo pode resultar em uma integração óssea não adequada, levando a perda do implante pelo processo de osteólise, também denominado de perda asséptica. Várias teorias procuram explicar este processo, entre elas está a produção de micropartículas, geradas diretamente pela fricção do material com o osso no momento da sua colocação. Estas micropatículas são reconhecidas pelas células do sistema imune inato, como os macrófagos, são internalizadas por fagocitose e induzem a produção e secreção de citocinas pró-inflamatórias que alteram a homeostasia do tecido ósseo, levando à osteólise. O reconhecimento e a internalização de substâncias reconhecidas como não-próprio envolve uma grande variedade de receptores celulares, dentre eles, os TLRs (Toll-like receptors), cuja ativação resulta na expressão e ativação de moléculas de sinalização intracelular, como os fatores de transcrição, que desencadeiam a secreção de mediadores, como as citocinas pró-inflamatórias. Deste modo, o objetivo deste trabalho é avaliar a influência dos TLR 2 e TLR 4 no reconhecimento e internalização das partículas de titânio e zircônia por macrófagos murinos, utilizando modelos experimentais in vitro e in vivo.