Busca avançada
Ano de início
Entree

Biologia da polinização e reprodução de espécies arbóreas da família Fabaceae, polinizadas por abelhas, de Floresta Atlântica no Sudeste do Brasil

Processo: 05/51011-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2005
Vigência (Término): 31 de agosto de 2007
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Pesquisador responsável:Marlies Sazima
Beneficiário:Mardiore Tanara Pinheiro dos Santos
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Fabaceae   Mata Atlântica   Biologia reprodutiva

Resumo

O presente projeto está vinculado ao projeto temático (Biota/Fapesp proc. nº 03/12595-7) que estudará a composição floristica, a estrutura e o funcionamento da Floresta Ombrófila Densa dos núcleos Picinguaba e Santa Virgínia do Parque Estadual da Serra do Mar. No referido projeto de pesquisa, por sua relevância ecológica na composição e estrutura de muitas fitofisionomias no domínio da Floresta Atlântica, bem como por sua importância nos ciclos do nitrogênio e do carbono, a família Fabaceae foi eleita o principal objeto de estudo. Conforme as propostas e necessidades do projeto temático, o presente estudo tem por objetivo contribuir para a definição de grupos funcionais da Floresta Atlântica, através do estudo da auto-ecologia de espécies arbóreas da família Fabaceae, ocorrentes em duas áreas de floresta (Floresta de Restinga e Floresta de Encosta) no Núcleo de Picinguaba, Ubatuba, SP. Inicialmente, foram pré-selecionadas 31 espécies vegetais, representantes de Caesalpinioideae, Mimosoideae e Faboideae, as quais serão investigadas sob os aspectos da biologia floral, da polinização, e reprodução. As observações serão mensais, e os métodos aplicados à pesquisa serão os usuais para estas áreas de estudo. As abordagens deste projeto são de especial interesse, pois seus resultados poderão ser utilizados para a compreensão da estrutura das comunidades estudadas, bem como para a preservação da sua biodiversidade. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.