Busca avançada
Ano de início
Entree

O espetáculo dos ditadores cinéfilos: política de massa, cinema e propaganda nazi-franquista na Europa e na América Latina (1933-1945)

Processo: 08/57371-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2009
Vigência (Término): 01 de fevereiro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História Moderna e Contemporânea
Pesquisador responsável:Marcos Francisco Napolitano de Eugenio
Beneficiário:Wagner Pinheiro Pereira
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Franquismo   Guerra Civil Espanhola   Segunda Guerra Mundial (1939-1945)   Nazismo   Cinema

Resumo

A pesquisa pretende desenvolver um estudo de histórias conectadas e de transferências culturais sobre a utilização do cinema como instrumento de propaganda política e de controle da opinião pública na Alemanha nazista e na Espanha franquista, durante o período de 1933 a 1945. O estudo dedicará atenção especial ao papel da Hispano-Film-Produktion (HFP), privilegiada instituição político-cultural fundada em Berlim, em 1936, que, sob a direção de Johann Wilhelm Ther (representante alemão), Joaquin Reig Gonzalbes e Norberto Solino (representantes espanhóis), foi a responsável pela produção, distribuição e exibição de filmes nazi-franquistas (documentários propagandísticos e ficcionais de entretenimento) dirigidos aos públicos da Alemanha nazista, da Espanha franquista e da América Latina. A recuperação da história desta instituição ilumina algumas das tensões na aliança entre os nazistas e os franquistas, ao mostrar como os seus interesses - estéticos, político-ideológicos e financeiros - acabaram gerando, em determinados momentos, conflitos no processo de condução do projeto de expansão internacional do modelo de cinema nazista na Europa e na América Latina, que buscava influenciar, conquistar e controlar as mais importantes indústrias cinematográficas da América Latina (México, Argentina e Brasil). Em termos gerais, a pesquisa analisará as políticas culturais de cinema do nazismo e do franquismo; as produções cinematográficas consideradas modelos das estéticas nazista e franquista, centrando-se nas desenvolvidas pelos cineastas oficiais desses regimes (os alemães Leni Riefenstahl e Veit Harlan, e os espanhóis José Luis Sáenz de Heredia e Juan de Orduna) e pelos cineastas que trabalharam na Hispano-Film-Produktion (Herbert Maisch, Florián Rey e Benito Perojo); os principais temas políticos apresentados nas diversas produções cinematográficas (filmes ficcionais, de reconstituição histórica, documentários e cine jornais); a configuração da hispanidade, vista sob a ótica franquista e nazista (que promoveu o gênero da "espanolada"); a influência da censura e de outros aspectos relacionados a produção cinematográfica, tais como a legislação políticas de crédito e sistemas de co-produções entre a Alemanha nazista e a Espanha franquista. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
A manipulação das consciências pelo cinema 
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.