Busca avançada
Ano de início
Entree

Dieta hiperlipídica como potencial agente promotor da carcinogênese prostática em gerbilos

Processo: 10/14961-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2010
Vigência (Término): 30 de novembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Sebastião Roberto Taboga
Beneficiário:Camila Helena Facina
Instituição-sede: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José do Rio Preto. São José do Rio Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Gerbillinae   Reprodução   Próstata   Neoplasias   Dieta hiperlipídica

Resumo

Importantes avanços na compreensão da carcinogênese prostática têm ocorrido nos últimos anos, no entanto, esta continua sendo uma doença complexa, de história natural pouco conhecida. Dentre os diversos fatores que se relacionam com o estabelecimento do câncer prostático, a dieta rica em lipídeos tem sido apontada como um fator ambiental potencialmente associado com a progressão tumoral na glândula. Embora a relação entre o consumo de dietas ricas em gordura saturada e o aumento do risco de câncer prostático seja bem estabelecida, os mecanismos que levam ao estabelecimento desta doença não foram completamente compreendidos. A inclusão do roedor gerbilo (Meriones unguiculatus) como um modelo para o estudo da influência da dieta sobre a morfofisiologia e patologia prostáticos pode ser considerada uma proposta valiosa, uma vez que o modelo tem favorecido a avaliação de lesões prostáticas e sua progressão de um estágio benigno para maligno tanto espontaneamente como por meio de diferentes condições experimentais. Desta forma, os objetivos do presente estudo são avaliar por métodos histopatológicos qualitativos e quantitativos, o potencial da dieta hiperlipídica e hipercalória na promoção de lesões prostáticas de caráter proliferativo, bem como o comportamento de biomarcadores do compartimento epitelial e estromal prostático nas lesões proliferativas induzidas pela dieta. Para tanto serão utilizados 24 gerbilos adultos (100 dias) que serão mantidos no biotétio do grupo de pesquisa em Biologia da Reprodução do Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas da UNESP, campus de São José do Rio Preto (SP). Estes serão divididos de forma aleatória em 2 grupos: 1) Controle - que receberá ração controle; 2) Experimental - que receberá dieta hiperlipídica e hipercalórica (20% de lipídeos saturados), visando avaliar seu possível efeito promotor de carcinogênese sobre os lobos prostáticos do gerbilo. Seis animais de cada grupo serão sacrificados por etapa (3 e 6 meses). As metodologias utilizadas envolvem análises quantitativas e estatísticas de consumo de ração, peso corpóreo e prostático, dosagens hormonais, cálculo da incidência e multiplicidade de lesões prostáticas, bem como análises morfológicas através de técnicas citoquímicas (HE, Picrossírius e Reticulina de Gomori) e imunohistoquímicas (Receptores de andrógeno e estrógeno e antígeno nuclear de proliferação celular). Os procedimentos visam contribuir para a compreensão dos mecanismos pelos quais a dieta rica em lipídeos contribui para o estabelecimento do câncer prostático. Embora resultados preliminares do nosso grupo sugiram que a referida dieta exerça um papel promotor no desenvolvimento de lesões prostáticas após iniciação pelo carcinógeno MNU, a investigação de sua ação isolada sobre o microambiente prostático do gerbilo fornecerá avanços sobre os mecanismos pelos quais esses macronutrientes modulam a iniciação e progressão do câncer prostático.