Busca avançada
Ano de início
Entree

Desempenho da indústria de bens de capital no Estado de São Paulo, 1928-1937

Processo: 03/13827-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2004
Vigência (Término): 30 de novembro de 2004
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Economia - Economia Industrial
Pesquisador responsável:Renato Perim Colistete
Beneficiário:Michel Deliberali Marson
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Letras (FCL). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):História econômica   Indústrias   São Paulo   Produtividade   Bens de capital   Tecnologia

Resumo

A indústria de bens de capital influenciou o crescimento da indústria no estado de São Paulo, devido às economias externas oferecidas pela produção de máquinas e equipamentos. Como foi o desempenho deste setor, um setor considerado de pouca liqüidez, ou seja, produtos de difícil venda devido à sua natureza específica, diante da maior crise da história do capitalismo, a da década de 1930? Uma resposta precipitada a esta pergunta poderia ser totalmente errônea. Em princípio o impacto tendia ser desastroso. Os industriais, por exemplo, poderiam preferir manter liquidez em vez de investir em bens de capital, devido ao cenário incerto causado pela crise. Mas a crise de 1929 também restringiu o comércio internacional e a demanda de bens de capital, que na década de 1920 era em sua maior parte importada, teve que encontrar outro meio para ser satisfeita. Apesar de mais reduzida devido à crise, esta demanda doméstica foi canalizada para o mercado interno. A maioria dos trabalhos sobre o setor trata o tema da forma agregada não dando destaque para sua natureza microeconômica. Este projeto busca examinar a indústria de bens de capital em São Paulo, de maneira agregada e por empresas, em suas principais características, conforme aparecem nas Estatísticas Industriais, entre 1928 e 1937, dando destaque para investimentos no setor, produtividade, intensidade de capital e efeito da tecnologia sobre o crescimento da produção. (AU)