Busca avançada
Ano de início
Entree

Inomogeneidade espacial em sistemas fortemente correlacionados

Processo: 08/56746-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2008
Vigência (Término): 30 de novembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física - Física da Matéria Condensada
Pesquisador responsável:Klaus Werner Capelle
Beneficiário:Vivian Vanessa França Henn
Instituição-sede: Instituto de Física de São Carlos (IFSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:07/57630-5 - Métodos não perturbativos aplicados a sistemas eletrônicos correlacionados, AP.TEM
Assunto(s):Estrutura eletrônica   Modelo de Hubbard   Teoria do funcional da densidade   Princípio da incerteza de Heisenberg   Coeficiente de correlação de Pearson

Resumo

Este projeto visa investigar conseqüências da inomogeneidade espacial em sistemas de férmions fortemente correlacionados. Muitos sistemas fortemente correlacionados são caracterizados por inomogeneidade espacial. Em certos casos, como nos cupratos supercondutores e nos manganitas apresentando magneto resistência colossal, essa inomogeneidade surge espontaneamente, como efeito das próprias correlações. Em outros, como em sistemas nano-estruturados e átomos em armadilhas ópticas, a inomogeneidade surge devido a modulação intencional dos parâmetros do sistema. Em sistemas homogêneos, sabe-se que existe um mapeamento entre o modelo de Hubbard (para correlações fortes) e o modelo de Heisenberg (para magnetismo). Mas pouco se sabe sobre a relação entre correlações e magnetismo em sistemas inomogêneos. Nós pretendemos investigar, por meio de uma combinação de técnicas analíticas e numéricas (Bethe Ansatz, diagonalização exata e teoria do funcional da densidade) se este mapeamento continua a existir, pelo menos de forma aproximada, na presença de inomogeneidades. Calcularemos o espectro dos dois modelos em situações nas quais os próprios parâmetros dos modelos variam espacialmente (U_i, t_ij, v_i no caso Hubbard e J_ij, Sj e B_i no caso Heisenberg) e investigaremos que tipo de inomogeneidade destrói ou preserva o mapeamento entre o sistema correlacionado e o sistema magnético, e, principalmente, se inomogeneidades locais no modelo de Hubbard se refletem de forma não local no de Heisenberg. Esperamos esclarecer dois aspectos interligados: a influência de inomogeneidade espacial em sistemas correlacionados e a não-localidade da relação entre correlações fortes e magnetismo. (AU)