Busca avançada
Ano de início
Entree

Aplicação antecipada de nitrogênio para o feijoeiro no sistema plantio direto em sucessão à duas espécies de gramíneas forrageiras

Processo: 07/07845-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2008
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2008
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Pesquisador responsável:Rogério Peres Soratto
Beneficiário:Cristiane Pilon
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Panicum maximum   Capim braquiarão   Phaseolus vulgaris   Palhada   Sulfato de amônio   Fertilizantes nitrogenados

Resumo

Na cultura do feijão, técnicas como utilização de insumos, manejo adequado da adubação e a inclusão de gramíneas forrageiras nos sistemas de produção, têm permitido a obtenção de altas produtividades. Porém, resíduos de plantas com elevada relação C/N no tecido, como as gramíneas forrageiras, proporcionam aumento da intensidade do fenômeno de imobilização de nitrogênio (N), que é a principal causa da menor disponibilidade desse elemento às plantas no sistema plantio direto, comparado com o sistema convencional, levando a falta de N na fase inicial de desenvolvimento da cultura subseqüente, no caso o feijão. Uma alternativa para minimizar esse problema seria a aplicação antecipada de parte do N na gramínea forrageira, antes do manejo. Contudo, ainda existem inúmeras dúvidas sobre a eficiência dessa prática para o fornecimento de N para o feijoeiro no sistema plantio direto. O presente projeto tem por objetivo avaliar o efeito da antecipação da aplicação de N, na forma de sulfato de amônio, para o feijoeiro cultivado em sistema de plantio direto em sucessão a Brachiaria brizantha e Panicum maximum. Será conduzido um experimento no delineamento experimental em blocos casualizados, em esquema de parcelas subdivididas, com quatro repetições. As parcelas serão constituídas por duas plantas de cobertura (B. brizanta cv. Marandú e P. maximum cv. Mombaça) e as subparcelas por seis formas de manejo do N (0-0 (testemunha), 100-0, 70-30, 50-50, 30-70 e 0-100 kg ha-1 de N, respectivamente, na planta de cobertura, 20 dias antes do manejo e em cobertura no feijoeiro). O experimento será instalado em áreas formadas pelo consórcio das forrageiras com a cultura do milho. A aplicação de N será em superfície, sem incorporação utilizando o sulfato de amônio. Serão avaliados: a) produção e quantidade de N contido nas plantas de cobertura por ocasião do manejo; b) características químicas e quantidade de N mineral no solo por ocasião do manejo; c) matéria seca e quantidade de N na parte aérea do feijoeiro; d) teor de N nas folhas; e) componentes da produção; f) produtividade de grãos do feijoeiro e, g) fator de utilização do N aplicado.