Busca avançada
Ano de início
Entree

Variabilidade antigenica em trypanosoma cruzi:estudo dos mecanismos de geracao de variantes antigenos de superficie g85 por recombinacao envolvendo as extremidades cromossomicas.

Processo: 07/55456-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2007
Vigência (Término): 31 de julho de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:José Franco da Silveira Filho
Beneficiário:Renata Torres de Souza
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:06/61450-0 - Estudos moleculares do Trypanosoma cruzi e de sua interação com células e fatores do hospedeiro in vitro e in vivo, AP.TEM
Assunto(s):Recombinação genética   Telômero   Antígenos de superfície   Cromossomos artificiais   Trypanosoma cruzi

Resumo

O Trypanosoma cruzi é um protozoário flagelado causador da doença de Chagas que afeta 16-18 milhões de indivíduos na América Latina. As formas infecciosas do T. cruzi expressam na sua superfície glicoproteínas que estão envolvidas nos processos de adesão e penetração do parasita na célula hospedeira. Apesar da heterogeneidade encontrada entre os antígenos de superfície, a maioria é codificada por genes relacionados, permitindo o agrupamento dos mesmos na superfamília das Trans-Sialidases (TS). As glicoproteínas (GP85, TC85, GP82) atuam como adesinas, ativando importantes vias de sinalização na célula hospedeira. O T. cruzi expressa simultaneamente na sua superfície um vasto repertório de glicoproteínas que diferem entre si pela presença de domínios e epítopos específicos. A variabilidade ou polimorfismo antigênico apresentado pelos membros da superfamília TS seria um mecanismo encontrado pelo parasita para invadir diferentes tipos celulares, e também escapar da resposta imune do hospedeiro. Pretendemos identificar os mecanismos genéticos envolvidos na geração de variabilidade antigênica em T. cruzi tomando como exemplo inicial o caso da GP85. A variação antigênica em protozoários parasitas depende da recombinação genética entre genes localizados nas extremidades cromossômicas. Demonstramos que as regiões subteloméricas são ricas em (pseudo) genes GP85 e retrotransposons, sugerindo que elas possam ser sítios de recombinação e geração de novas variantes da família. Pretendemos demonstrar a existência de recombinação entre os membros subteloméricos da família GP85 por transfecção com um minicromossomo artificial de T. cruzi (pTAC) construído pelo grupo do Dr M. Levin. As regiões subteloméricas de T. cruzi serão subclonadas em pTAC juntamente com um gene repórter. Formas epimastigotas do T. cruzi serão transfectadas com pTAC e a descendência examinada por diferentes técnicas moleculares. Esperamos com esta abordagem dissecar os mecanismos genéticos envolvidos na geração de variabilidade antigênica de T. cruzi. (AU)