Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de moleculas inibidoras de proteases.

Processo: 02/07388-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2002
Vigência (Término): 11 de janeiro de 2004
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Química de Macromoléculas
Pesquisador responsável:Luiz Juliano Neto
Beneficiário:Robson Lopes de Melo
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:98/15906-3 - Substratos e inibidores para enzimas proteolíticas, AP.TEM
Assunto(s):Enzimas proteolíticas   Inibidores   Metaloproteases

Resumo

Este projeto visa o desenvolvimento de peptídeos miméticos como inibidores de proteases e neste aspecto serão abordados três temas que já estão em andamento nos laboratórios do Centro de Toxicologia Aplicada (CAT) e nos laboratórios do Departamento de Biofísica da UNIFESP-EPM. Os aminoácidos não naturais obtidos para este estudo serão empregados na síntese de peptídeos inibidores das proteases dos vírus da Dengue e da Febre amarela, que são serino-proteases da família da tripsina. Dessa maneira estaremos fazendo uma análise de pelo menos 4 enzimas proteolíticas a partir de aminoácidos não naturais. A partir de peptídeos potenciadores de bradicinina (BPPs) identificados no veneno da cobra Bothrops jararaca estaremos desenhando inibidores peptídicos para ECA. Assim este trabalho realizar-se-á em conjunto com os demais grupos envolvidos na identificação de moléculas "líderes" para o desenvolvimento de novos BPPs. Este projeto estará atuando tanto na síntese de moléculas identificadas no veneno como na síntese de peptídeos sintéticos visando a potencialização de efeitos destes BPPs e inibidores das proteases dos flavivirus, Dengue I e Dengue II e Febre amarela. (AU)