Busca avançada
Ano de início
Entree

Valores de referência para o teste get up and go na população adulta e idosa brasileira

Processo: 07/08098-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2008
Vigência (Término): 31 de maio de 2009
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Victor Zuniga Dourado
Beneficiário:Daniel Lucas Spagnuolo
Instituição-sede: Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos , SP, Brasil
Assunto(s):Valores de referência   Equilíbrio postural   Marcha (locomoção)   Idosos   Acidentes por quedas

Resumo

O teste get up and go cronometrado (TGGC) apresenta boa aplicabilidade clínica tendo em vista suas correlações com atributos funcionais tais como equilíbrio, velocidade usual da marcha e capacidade para subir degraus. Entretanto, a caracterização dos indivíduos idosos por meio do desempenho no TGGC necessita de padrões de normalidade para o teste, sobretudo na população brasileira. O presente estudo levanta a hipótese de que os valores de referência definidos em população idosa estrangeira não se aplicam à população brasileira e que o TGGC é o mais representativo do risco de queda e da qualidade de vida de indivíduos idosos entre os testes de caminhada de campo mais populares. Nesse sentido temos como objetivos: (1) estudar os valores de referência do TGGC na população brasileira com idade maior ou igual a 40 anos; (2) sugerir padronização adequada para o TGGC; (3) elaborar equações de regressão linear para a previsão do desempenho normal no TGGC em homens e mulheres brasileiros; (4) avaliar as correlações entre a capacidade funcional (TGGC), força muscular respiratória e periférica, composição corporal, equilíbrio e risco de quedas e qualidade de vida nessa população; (5) Avaliar qual dentre os principais testes de caminhada de campo (TGGC, Shuttle Walk Test (SWT), Teste de Caminhada de 6 minutos (TC6) e Teste de caminhada de 10 metros) é o mais representativo do risco de quedas e do estado geral de saúde em 50 indivíduos idosos (idade > 60 anos). Serão selecionados 300 indivíduos assintomáticos sedentários, de ambos os gêneros, da população urbana da cidade de Santos/SP. Após exame médico, os indivíduos serão submetidos às seguintes avaliações: eletrocardiografia, função pulmonar, composição corporal (bioimpedância), força de preensão manual, qualidade de vida por meio do questionário "The Medical Outcomes Study 36 - Item Short Form Health Survery" (SF 36), escala de equilíbrio de Berg, questionário para risco de queda, três avaliações de cada um dos testes de caminhada supracitados. Esperamos que o presente estudo forneça informações sobre os padrões de normalidade específicos da população brasileira e auxilie a padronização do teste no Brasil. Os resultados do presente estudo podem fornecer subsídios para comparações mais adequadas entre pacientes com doenças crônicas e indivíduos assintomáticos em nosso meio. Secundariamente esperamos conhecer qual dentre os principais testes de caminhada de campo é o mais representativo do risco de quedas e do estado geral de saúde em idosos brasileiros. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SPAGNUOLO, DANIEL LUCAS; JUERGENSEN, SORAIA PILON; IWAMA, ANGELA MAY; DOURADO, VICTOR ZUNIGA. Walking for the Assessment of Balance in Healthy Subjects Older than 40 Years. Gerontology, v. 56, n. 5, p. 467-473, 2010. Citações Web of Science: 12.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.