Busca avançada
Ano de início
Entree

Preparacao de novas fases estacionarias reversas contendo grupos polares, utilizando silicas modificadas com titanio e ou zirconio.

Processo: 02/07633-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2002
Vigência (Término): 30 de abril de 2006
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Pesquisador responsável:Carol Hollingworth Collins
Beneficiário:Cesar Ricardo Silva
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:00/13698-6 - Novas fases estacionárias com polímeros imobilizados sobre suportes de sílica e sílicas metalizadas: preparação, propriedades e aplicações, AP.TEM
Assunto(s):Sílica   Cromatografia líquida de alta eficiência   Agentes sililantes

Resumo

O projeto de pesquisa abrange a preparação de novas fases estacionárias para serem empregadas em cromatografia líquida de alta eficiência. As fasès quimicamente ligadas deverão ser preparadas inicialmente a partir da prévia modificação química da sílica gel cromatográfica com os alcòxidos de titânio e ou zircônio. As sílicas modificadas sofrerão uma nova reação de recobrimento com alcoxissilanos do tipo: (CH3CH2O)3-Si-(CH2)3-NH-C(O)-NH- (CH2)nCH3, contendo os grupos do tipo uréia inseridos na cadeia carbônica, para produzir as novas fases reversas com grupos polares embutidos. A análise elementar, a espectroscopia na região do infravermelho e a ressonância magnética nuclear de 13C e 29Si serão úteis para a caracterização das sílicas quimicamente modificadas, obtidas em cada uma das etapas de síntese. Esses novos materiais serão utilizados como recheio para colunas cromatográficas para CLAE. A eficiência cromatográfica dessas novas fases estacionárias será avaliada através da separação de misturas testes contendo compostos polares e apolares. Da mesma forma, a estabilidade química dessas novas fases será investigada para averiguar se a incorporação dos óxidos de titânio ou zircônio na superfície da sílica pode aumentar a estabilidade química da fase estacionária. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa: