Busca avançada
Ano de início
Entree

Relação entre formas de n no solo e atividade da enzima nitrato redutase no arroz de terras altas em função das plantas de cobertura e de fontes de nitrogênio

Processo: 09/07448-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2009
Vigência (Término): 31 de março de 2010
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Pesquisador responsável:Carlos Alexandre Costa Crusciol
Beneficiário:Bruno Henrique Fernandes
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Fertilidade do solo   Sistemas de produção

Resumo

A cultura do arroz para seu pleno desenvolvimento exige quantidades equivalentes de nitrato (N-NO3-) e amônio (N-NH4+), principalmente no ecossistema de terras altas. No sistema plantio direto a forma predominante de N no solo é a nítrica e neste caso a cultura não apresenta bom desenvolvimento. A explicação para este fato pode estar relacionada a baixa atividade da enzima nitrato redutase (NR) na fase inicial do desenvolvimento do arroz. A absorção de N-NO3- sem uma adequada assimilação ocasiona problemas nutricionais à cultura. Alguns estudos não conclusivos indicam que espécies do gênero Brachiaria são capazes de inibir a nitrificação e, portanto, manter o N na forma amoniacal. Diante do exposto o objetivo deste trabalho será estudar a influência da interação plantas de cobertura x fontes de N nas formas de N no solo e as conseqüências na atividade da enzima nitrato redutase e produtividade de grãos. O projeto de pesquisa será realizado em campo na Fazenda Experimental Lageado da FCA/UNESP - Botucatu-SP. O delineamento experimental será em blocos casualizados em esquema fatorial 7 x 6, com quatro repetições. Os tratamentos serão constituídos pela combinação de 7 formas de manejo da adubação nitrogenada (M1 - 80 kg ha-1 de nitrato de cálcio aos 30 DAE, M2 - 40 kg ha-1 de nitrato de cálcio aos 0 DAE e 40 kg ha-1 aos 30 DAE, M3 - 80 kg ha-1 de sulfato de amônio aos 30 DAE, M4 - 40 kg ha-1 de sulfato de amônio aos 0 DAE e 40 kg ha-1 aos 30 DAE, M5 - 80 kg ha-1 de sulfato de amônio + inibidor de nitrificação (DCD) aos 30 DAE, M6 - 40 kg ha-1 de sulfato de amônio + DCD aos 0 DAE e 40 kg ha-1 aos 30 DAE e M7 - testemunha - ausência de N) e 6 espécies de plantas de cobertura (Brachiaria brizantha, B. decumbens e B. humidicola, B. ruziziensis, Pennisetum americanum e Crotalaria juncea). A cultivar de arroz utilizada será a IAC-202. Serão realizadas as seguintes avaliações: pH, N-NO3-, N-NH4+ e N total no solo, atividade da enzima nitrato redutase e produtividade de grãos. Os dados serão submetidos à análise de variância. As médias dos tratamentos serão comparadas pelo teste de Tukey a 5%. Também serão realizadas análises de correlação entre as variáveis.