Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudos fundamentais da eletrooxidação de etileno glicol. o efeito da concentração de RU em eletrodos binários de PtRu

Processo: 04/01854-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2004
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2005
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química
Pesquisador responsável:Teresa Benita Iwasita de Vielstich
Beneficiário:Elton Fabiano Sitta
Instituição-sede: Instituto de Química de São Carlos (IQSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:99/06430-8 - Eletrocatálise III: cinética e mecanismo de processos eletroquímicos de conversão e armazenamento de energia, AP.TEM
Assunto(s):Células de combustível   Eletro-oxidação

Resumo

O etileno glicol vem despertando grande interesse em pesquisas eletroquímicas por ser um álcool com potencial para ser utilizados em novos sistemas conversores de energia mais eficientes (células à combustível). Tal potencial dá-se por características como ΔHºC, ΔGºC, Eo que possibilitam o etileno glicol ser comparado com álcoois úteis para células à combustíveis (etanol e metanol), sendo que este não é tóxico e de fácil transporte. Visando a otimização de células a combustível, este trabalho tem como objetivo o estudo da eletroxidação do etileno glicol em eletrodos PtRu. A platina e o rutênio catalisam a eletrooxidação do CO (produto intermediário adsorvido da oxidação do etileno glicol) formando CO2 e disponibilizando os sítios ativos para que outras moléculas de etileno glicol possam ser oxidadas. A proporção de PtRu no eletrodo tem influência fundamental no processo catalítico. Com o intuito de incorporar novos resultados aos já encontrados na literatura para posteriormente comparar o etileno glicol com etanol e metanol serão preparados eletrodos com proporções de PtRu na faixa de 40 a 100%. Esses dados serão necessários a fim de complementar dados existentes para eletrodos com menor conteúdo de Ru. Os resultados serão obtidos utilizando-se técnicas clássicas de eletroquímica, tais como: voltametria cíclica; cromoamperometría. Os dados serão complementados com medidas de espectroscopia de infravermelho por refletância externa (FTIR in situ). (AU)