Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da citotoxicidade de extratos de Pterogyne nitens em Trypanosoma Cruzi e em macrófagos

Processo: 08/06021-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2008
Vigência (Término): 30 de novembro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Regina Maria Barretto Cicarelli
Beneficiário:Mariana da Costa Siqueira
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Microscopia de contraste de fase   Tripanossomicidas   Pterogyne nitens   Macrófagos   Trypanosoma cruzi

Resumo

Atualmente, cerca de 16 a 18 milhões de pessoas na América Latina estão infectadas com o protozoário do gênero Trypanosoma, causador da Doença de Chagas, transmitida pelo inseto barbeiro. A terapêutica continua parcialmente ineficaz, apesar dos esforços de pesquisadores em testar diferentes substâncias em animais. Eles vêm observando que vários componentes têm um efeito supressor, porém, muitos se apresentam com alta toxicidade, baixa absorção e aumento de resistência. Na literatura atual, encontram-se investigações sobre a atividade tripanocida com uma grande variedade de extratos naturais, especialmente os vegetais, componentes isolados e/ou semi-sintéticos. Essas investigações podem ser feitas através de métodos colorimétricos, como a redução do MTT [3-(4,5-dimetiltiazol-2-il)-2,5-difeniltetrazólio bromide] em formazan, que é de fácil e rápida aplicação, possibilitando testar diversas substâncias simultaneamente. Essa metodologia já foi realizada também com sucesso em células de mamíferos e alguns protozoários, incluindo o T. cruzi. Este projeto tem por objetivo avaliar a atividade tripanocida de extratos e frações de Pterogyne nitens ("amendoim do campo") na forma epimastigota do Trypanosoma cruzi utilizando o método colorimétrico acima citado, sendo este um método rápido e eficaz. As substâncias que apresentarem atividade significativa serão avaliadas por microscopia de contraste de fase para análise de possíveis variações morfológicas do parasita e também para citotoxicidade em macrófagos isolados de camundongos isogênicos não-infectados.