Busca avançada
Ano de início
Entree

Habitacao de interesse social em centros urbanos: atuacao em corticos.

Processo: 07/55056-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2007
Vigência (Término): 31 de julho de 2008
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Fundamentos de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Leandro Silva Medrano
Beneficiário:Maria Julia Do Amaral Mazetto
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FEC). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:06/58995-4 - Habitação de interesse social na região central de São Paulo: a possibilidade de urbanidades contemporâneas nos projetos de arquitetura realizados entre 2001 e 2004, AP.JP
Assunto(s):Habitação social   Metodologia de projeto

Resumo

O Brasil, durante grande parte do século passado, procurou resolver a questão da habitação coletiva de interesse social construindo periferias. Sua versão periférica do modelo modernista centro europeu, tornou-se uma das faces mais visíveis e contestadas de nossa arquitetura. Como crítica a esta prática surgem novas alternativas de desenho urbano. Caracterizadas como intervenções parciais em pontos estratégicos da cidade consolidada, em especial nas áreas centrais, buscam a reorganização do território através da compreensão de seu potencial histórico, infra-estrutural e cultural. Distante do antigo modelo centro/periferia são propostas que potencializam ações que incorporam a necessidade de crescimento do setor habitacional à estrutura parcialmente ociosa dos centros metropolitanos. Nesse sentido, o PAC - Programa de Atuação em Cortiços, criado pelo Decreto 43.132 de junho/1998 do Governo do Estado, é uma importante política pública de atuação em áreas centrais - sobretudo na cidade de São Paulo. A presente pesquisa pretende desenvolver uma análise crítica dos projetos de arquitetura das intervenções desse programa na região de Santa Cecília, no centro de São Paulo. Como metodologia, três ações serão priorizadas: 1) organizar um levantamento técnico e gráfico das intervenções desse programa; 2) entrevistar os projetistas envolvidos; 3) elaborar uma análise crítica da relação dos resultados arquitetônicos com as intenções do PAC. (AU)