Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da variação de fluxo sobre a reatividade do leito arterial caudal em ratos normotensos e espontaneamente hipertensos: efeito da infusão de polietilenoglicol

Processo: 05/60599-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2006
Vigência (Término): 30 de abril de 2007
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Luciana Venturini Rossoni
Beneficiário:Juliana Fernandes Belletati
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Disfunção endotelial   Hipertensão   Reatividade cardiovascular

Resumo

A hipertensão arterial é caracterizada pela elevação crônica da pressão arterial. Essa é sem dúvida a doença que possui maior prevalência entre as enfermidades cardiovasculares. Mais de 20% dos indivíduos que vivem em países desenvolvidos apresentam pressão arterial elevada, a qual está associada com elevado risco de morbidade e mortalidade cardiovascular. A hipertensão arterial é uma enfermidade caracterizada por um aumento da resistência vascular periférica, na qual as artérias de resistência desempenham importante papel. Dentre os fatores associados a este aumento pode-se citar a disfunção endotelial caracterizada principalmente pela diminuição da biodisponibilidade de óxido nítrico. O estímulo fisiológico mais relevante na liberação de óxido nítrico derivado do endotélio é a tensão de cisalhamento, a qual se encontra alterada na hipertensão arterial. Estudos demonstram que polímeros redutores de arrasto são efetivos em reduzir a resistência hidrodinâmica em sistemas com fluxo não turbulento (fluxo laminar perturbado), assim como fluxo pulsátil em tubos retos e em espiral com baixos números de Reynolds. Assim, a hipótese desse estudo é a de que a administração de polímeros seria benéfica na normalização da tensão de cisalhamento entre o sangue e as células endoteliais em animais espontaneamente hipertensos (SHR). Por sua vez, essa redução acarretaria na diminuição da resistência arterial e, conseqüentemente da pressão arterial, reduzindo a disfunção endotelial e minimizando alguns efeitos vasculares deletérios da hipertensão. (AU)