Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da expressão de receptores de estrógeno e progesterona no endométrio de vacas Nelore (Bos taurus indicus) durante o anestro pós-parto

Processo: 07/03778-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2008
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Pesquisador responsável:João Carlos Pinheiro Ferreira
Beneficiário:Rafaela Sanchez de Lima
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Anestro   Imuno-histoquímica   Receptores hormonais

Resumo

Esse estudo tem por objetivo avaliar, através da técnica de imunoistoquímica, os receptores de estrógeno e progesterona no anestro pós-parto. Sabe-se que durante o estro (altas concentrações de estrógeno) há o aumento dos receptores de estrógeno e progesterona e durante a fase luteal (altas concentrações de progesterona) ocorre à diminuição desses receptores (Robinson et al., 2001). Porém, ainda não existem estudos a respeito da concentração desses receptores durante o anestro pós-parto em que as concentrações circulantes de progesterona diminuem agudamente, indicando a ausência de uma ovulação e de um corpo lúteo funcional; e as concentrações de estradiol também são muito baixas, aumentando apenas após o dia 9 pós-parto (revisado por Yavas, 2000).Serão utilizadas vacas Nelore P.O., em anestro pós-parto, adultas, mantidas em regime de pastejo recebendo sal mineral e água ad libitum. O anestro pós-parto será confirmado pelo histórico reprodutivo, avaliações por palpação e ultrassonografia transretais e dosagem de progesterona (ng/mL). Os ovários de todos os animais serão inspecionados por palpação e ultrassonografia transretais para a avaliação da presença de folículos e corpo lúteo. Conforme o crescimento folicular os animais serão divididos em 3 grupos com 10 animais cada: Grupo 1 formado por animais portadores de folículos menores de 4,0 mm; Grupo 2 formado por animais portadores de folículos de tamanho intermediário, com diâmetros entre 4,0 e 6,0 mm; Grupo 3 formado por animais portadores de folículos de diâmetro superior a 6,0 m. Os níveis plasmáticos de estradiol serão confirmados por dosagem plasmática pela técnica de radioimunoensaio. Serão realizadas colheitas de fragmentos uterinos por via transcervical. A pinça será introduzida pela vulva até alcançar o cérvix, que será manipulado por via transretal, a fim de permitir a introdução da mesma no útero. Serão colhidas amostras de sangue no momento da biopsia por venopunção da jugular e depositadas em tubos de colheita de sangue a vácuo heparinizados. As dosagens plasmáticas de progesterona serão realizadas utilizando-se kits comerciais em fase sólida, no Laboratório de Endocrinologia do Departamento de Reprodução Animal e Radiologia Veterinária, FMVZ, Unesp, Campus de Botucatu. Os fragmentos uterinos serão processados de acordo com o Laboratório de Histopatologia do Serviço de Patologia Veterinária do Departamento de Clínica Veterinária – FMVZ – Unesp – Botucatu para a detecção de receptores de progesterona e estrógeno através de imunoistoquímica. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
R.S. LIMA; I. MARTIN; W.C. MARQUES FILHO; M.M.P. RODRIGUES; R. LAUFER-AMORIM; J.C.P. FERREIRA. Detecção imunoistoquímica de receptores de estrógeno e progesterona no endométrio de vacas Nelore (Bos taurus indicus) durante o anestro pós-parto. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, v. 63, n. 4, p. 791-798, Ago. 2011.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.