Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo de adrenoceptores perifericos na musculatura lisa de filhotes de ratos tratados com anfetamina e seus derivados prenhez e aleitamento.

Processo: 06/59064-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2007
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2007
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Geral
Pesquisador responsável:Neide Hyppolito Jurkiewicz
Beneficiário:Eloá Orsi Pinto dos Santos
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Anfetamina   Ducto deferente

Resumo

O presente estudo tem por objetivo verificar os possíveis efeitos periféricos do tratamento crônico "in vivo" com anfetamina e seu derivado (anfepramona) sobre a musculatura, lisa de ratos cujas mães foram tratadas com esta droga durante a prenhez e aleitamento. Os parâmetros macroscópicos anatômicos e morfológicos serão também averiguados. Para tal, escolhemos dois órgãos: um deles, está ligado ao sistema reprodutivo e possui uma rica inervação adrenérgica, o dueto deferente. O outro é a traquéia, cuja musculatura lisa é rica em β-adrenoceptores. Inicialmente, pretendemos estudar a contração (no dueto deferente) e o relaxamento muscular (na traquéia) induzidos "in vitro" por drogas adrenérgicas na presença e ausência de antagonistas específicos. Através destas curvas, serão medidos o efeito máximo (Emax) das drogas utilizadas, bem como a afinidade aparente, pelos parâmetros pA2 (para antagonistas) e pD2 (para agonistas), juntamente com a atividade intrínseca (α) e responsividade relativa (p). Posteriormente, pretendemos verificar a liberação de catecolaminas (NA) através do método amperiométrico em HPLC, medindo o pico máximo de liberação de noradrenalina (NA). Pretendemos também, usar a metodologia de "Receptor Binding" a fim de analisar a densidade e a afinidade dos receptores adrenérgicos, através da constante de dissociação (KD) e do número de sítios de ligação (Bmax) desses receptores. (AU)