Busca avançada
Ano de início
Entree

Habilidades Sociais em Paciente Crônicos Renais

Processo: 08/11148-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2009
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Tratamento e Prevenção Psicológica
Pesquisador responsável:Zilda Aparecida Pereira Del Prette
Beneficiário:Luciana Santos Vieira Palma
Instituição-sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Qualidade de vida   Insuficiência renal crônica   Habilidades sociais   Doença crônica   Fatores de proteção

Resumo

A doença crônica tem se mostrado um dos grandes desafios para os atuais profissionais da saúde, devido principalmente a dois fenômenos: a sua alta e crescente expansão na população e os efeitos extremamente danosos que ela causa ao sujeito, nos âmbitos físico, social e psicológico. Diante disso, torna-se importante realizar estudos e pesquisas, que de alguma forma, tentem encontrar meios de minimizar danos. A Psicologia da Saúde é uma área que, pela utilização de conceitos, investigações e técnicas acumuladas em seus estudos, seguramente poderá contribuir com este objetivo. Um de seus campos de estudo são os fatores de risco e proteção que contribuem para um aumento ou diminuição da probabilidade da ocorrência de fenômenos e resultados negativos. Uma vez identificados esses fatores, há a possibilidade de se alterá-los a fim de melhorar a qualidade de vida do sujeito. Dentre outros, um dos fatores de proteção que merece ênfase, por atuar diretamente nas relações sociais e pessoais do indivíduo, são a competência social e as habilidades sociais (HS). Uma vez que pesquisas demonstram que o suporte social, assim como a depressão e ansiedade, tem uma grande influência na qualidade de vida do paciente crônico renal, maior até do que adequação do tratamento, gravidade da doença e comorbidades físicas, torna-se notório que a aplicação do conhecimento da área de Treinamento em Habilidades Sociais (THS) pode ser altamente benéfica a sujeitos que já se encontram sob um fator de risco, no caso a doença crônica renal. No entanto, apesar da revisão de estudos corroborar a funcionalidade e importância de procedimentos que utilizam o THS com pacientes crônicos, verifica-se na literatura nacional a inexistência de programas que relacionam habilidades sociais com estes pacientes. O objetivo deste estudo é, portanto, realizar um passo anterior à elaboração dessas intervenções, que consiste na caracterização dessas habilidades e verificação de recursos e déficits que estes pacientes apresentam. Além disso, com essa pesquisa pretende-se verificar a existência de correlações entre habilidades sociais, qualidade de vida e bem-estar subjetivo. Para isso serão aplicados cinco instrumentos (Critério Brasil, Questionário de caracterização dos participantes, Inventário de Habilidades Sociais, Escala de Bem-Estar Subjetivo e Self Report Questionnaire), pelo pesquisador, em trinta (30) pacientes atendidos pelo Centro de Nefrologia do hospital Santa Casa de Misericórdia de São Carlos. Em relação à análise dos dados, pretende-se realizar um estudo de correlação, no qual irão se comparar as variáveis relacionadas à doença, aos resultados encontrados pelo EBES e SRQ e à avaliação feita pelo IHS, a fim de verificar se existem ou não correlações entre estes quatro aspectos.