Busca avançada
Ano de início
Entree

Citotaxonomia de Orchidaceae da mata Atlântica:ênfase na subtribo Maxillarineae S.L

Processo: 08/03673-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2009
Vigência (Término): 31 de março de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Taxonomia Vegetal
Pesquisador responsável:Eliana Regina Forni Martins
Beneficiário:Ana Paula de Moraes
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):DNA satélite   Hibridização in situ   Orchidaceae

Resumo

O Brasil é o país com a maior biodiversidade do planeta, com aproximadamente 55.000 espécies vegetais. A família Orchidaceae é considerada a maior dentre os vegetais, com 800 gêneros e 25.000 espécies. Não surpreendentemente, o Brasil é o país com a maior diversidade de orquídeas, apresentando quase 10% das espécies descritas, muitas destas ocorrendo como endêmicas na Mata Atlântica, segunda mata tropical mais ameaçada do mundo. Muitas espécies de orquídeas já se encontram em situação de risco ou em extinção, porém o número pode ser muito maior, devido ao limitado esforço de coleta e incorreta classificação de algumas espécies. Frente a esta situação alarmante, é importante que se obtenha dados quanto à taxonomia e biogeografia das espécies, permitindo que se elaborem planos de conservação mais eficazes. Apesar de vários estudos, a surpreendente diversidade das orquídeas é ainda pouco compreendida, sem que se tenha uma proposta formal de classificação para a família. Adicionalmente, é surpreendente que as técnicas modernas de citogenética, tão úteis em análises taxonômicas e filogenéticas, tenham sido tão timidamente empregadas em orquídeas. Desta forma, o projeto visa suprir esta deficiência, empregando técnicas de bandamento e hibridização in situ na análise da divergência cromossômica e da sua influência nos padrões de especiação que resultam na diferenciação das espécies. Este projeto por fim, ampliará consideravelmente o entendimento da filogenia e evolução de Orchidaceae, com base em dados de citogenética molecular e de campo, contribuindo na indicação das unidades taxonômicas e das espécies com prioridade para conservação.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MORAES, A. P.; KOEHLER, S.; CABRAL, J. S.; GOMES, S. S. L.; VICCINI, L. F.; BARROS, F.; FELIX, L. P.; GUERRA, M.; FORNI-MARTINS, E. R. Karyotype diversity and genome size variation in Neotropical Maxillariinae orchids. Plant Biology, v. 19, n. 2, p. 298-308, MAR 2017. Citações Web of Science: 4.
MORAES, ANA PAULA; SIMOES, ANDRE OLMOS; ALAYON, DARIO ISIDRO OJEDA; DE BARROS, FABIO; FORNI-MARTINS, ELIANA REGINA. Detecting Mechanisms of Karyotype Evolution in Heterotaxis (Orchidaceae). PLoS One, v. 11, n. 11 NOV 10 2016. Citações Web of Science: 5.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.