Busca avançada
Ano de início
Entree

Mulheres reais: a marca Dove e o corpo feminino

Processo: 09/53498-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2010
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Antropologia
Pesquisador responsável:Heloisa Buarque de Almeida
Beneficiário:Marcella Uceda Betti
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Propaganda   Campanhas publicitárias   Representações sociais   Valores (psicologia)   Estereótipos (psicologia)   Corpo humano   Padronização corporal   Pesos e medidas corporais   Mulheres

Resumo

Em nossa era contemporânea, um corpo jovem, magro e bem cuidado é sinônimo de sucesso e autodeterminação. Assim, cada vez mais as mulheres são incentivadas a se adequarem à padrões de beleza normalizadores e disciplinadores, objetivando exibir corpos "perfeitos", firmes, livres de gordura e de sinais do tempo. A mídia e a publicidade, responsáveis pela manutenção e (re)elaboração de valores sociais, são apontadas como as principais difusoras destes padrões que regulam os corpos femininos. Sabendo disso, a marca Dove iniciou a inusitada "Campanha pela Real Beleza": esta campanha publicitária se diz democratizar a beleza, mostrando corpos de mulheres "comuns" em vez de corpos de modelos "perfeitas". O objetivo de minha pesquisa é investigar esta proposta aparentemente inovadora - questionar até que ponto a Dove diferencia-se da publicidade que glorifica a perfeição estética. Meu foco principal é a identificação das representações do corpo feminino e dos estereótipos de gênero presentes na Campanha. Minha metodologia consistirá em uma análise de imagem e de discurso. Meus materiais de base serão anúncios impressos da Campanha e entrevistas com profissionais da mídia, especialmente aqueles envolvidos com a Campanha, pois julgo necessária a apreensão do ponto de vista destes indivíduos. Além disso, leituras aprofundadas de trabalhos das áreas de gênero e mídia serão fundamentais para a construção da pesquisa. (AU)