Busca avançada
Ano de início
Entree

Distribuição de velocidades ao longo da linha de visada em galáxias vistas de perfil

Processo: 03/07099-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2004
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2005
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Astronomia - Astrofísica Extragaláctica
Pesquisador responsável:Ronaldo Eustaquio de Souza
Beneficiário:Dimitri Alexei Gadotti
Instituição-sede: Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:00/06695-0 - Evolução e atividade de galáxias, AP.TEM
Assunto(s):Galáxias

Resumo

Utilizando espectros obtidos para uma amostra de 15 galáxias vistas de perfil, iremos determinar a distribuição de velocidades na linha de visada ao longo do eixo maior destas galáxias, no plano do disco e paralelamente a este. Duas parametrizações distintas serão utilizadas: uma Gaussiana generalizada, que permite uma avaliação mais detalhada do que uma Gaussiana pura, comumente utilizada; e uma Gaussiana dupla, especialmente útil na avaliação de componentes cinematicamente distintas. Em particular, o cenário hierárquico de formação de galáxias prevê uma incidência alta de componentes em contra-rotação, o que será testado neste trabalho. A velocidade de rotação dos bojos será determinada de forma bastante precisa, dada a configuração na qual os espectros foram obtidos. Este parâmetro físico tem importância fundamental nos modelos de formação e evolução de galáxias, mas é pouco avaliado em razão da dificuldade em se obter medidas confiáveis. A informação cinemática também nos permitirá avaliar a presença de sub-estruturas, tais como barras secundárias e discos nucleares, que podem ser responsáveis por fenômenos recentemente descobertos e pela alimentação de núcleos ativos. Finalmente, os resultados serão comparados com simulações de fusões de galáxias, no sentido de alcançar uma compreensão mais abrangente. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Astronomia está cada vez mais colaborativa 
Consórcios internacionais buscam astrônomos e financiamento brasileiro